CMSV e as medidas de combate ao consumo do álcool

11/12/2015 08:10 - Modificado em 11/12/2015 08:10

alcoolHá mais de um ano, a Câmara Municipal de São Vicente preocupada com o consumo do álcool, através de uma deliberação tentou combater o consumo exagerado do álcool. As escolas, principalmente as primárias e secundárias, estiveram na lista das preocupações da edilidade com proibição de fazer publicidade de bebidas perto das escolas para além da venda de bebidas em bares perto das escolas. Na época, todas as publicidades nos outdoors foram retiradas.

Numa conversa com o Vereador Humberto Lélis sobre o assunto, o mesmo explica que a CMSV tem seguido o que preconizou na deliberação. Realça que o foco tem sido as publicidades nos outdoors “e que, até ao momento, não tem havido muitos problemas”.

Há cerca de um mês atrás uma publicidade de uma bebida alcoólica esteve exposta numa zona perto de duas escolas secundárias. A publicidade esteve cerca de duas semanas no local. “Quando existe este tipo de publicidade e somos alertados, procuramos logo retirar”, sublinha Lélis quando questionado sobre este caso específico.

Apesar dos esforços para a questão do álcool na ilha, reitera que não é um trabalho apenas da edilidade e que esta “vai fazendo o que lhe compete”. Aproxima-se um período delicado onde há um aumento do consumo de álcool e, neste sentido, diz que as outras autoridades na ilha têm de fazer o seu trabalho.

As medidas e as preocupações, segundo o Vereador, são para continuar e, assim, lutar contra o consumo exagerado do álcool. A CMSV está a fazer a sua parte neste ponto.

  1. john doe

    então??!! posso colocar outdoor’s com publicidade de bebidas alcoólicas (ou outro) sem autorização da CMSV??!! é isto que entendi na explicação do vereador, no terceiro parágrafo. acho que vou colocar e esperar que alguém denuncie!!! isto pq a CMSV deve, obrigatoriamente, analisar os pedidos de colocação de outdoor’s!!!
    tenho visto, nos arredores das escolas secundárias, alunos a embebedarem-se frequentemente…é culpa dos pais, das lojas que situam perto das escolas que ignoram a legislação e lucram com a venda a menores, e da(s) entidade(s) fiscalizadora(s) que não faze o seu trabalho…é de denunciar a incompetência de certas autoridades e devo alertar que não é só isso… os alunos (menores) da escola verde são “profissionais na área”: padjinha, cigarro (e depois disfarçar com uma saborosa chupa-chupa para o papá ou a mama não notar), e ainda furos na língua p/ colocar piercing…justamente!!! andam com uma garrafa de álcool, que se pode adquirir numa farmácia, e uma agulha. habilidosos!!! é tanta coisa, e os responsáveis nem têm conhecimento da metade da missa…pena tenho dessa sociedade que cada vez mais, está a desmoronar-se…que será dela daqui a 10 anos ou menos ??!!

  2. sanvicentina

    DEVIAM VER TAMBÉM O CONSUMO DE PADJINHA QUE ESTÁ A TOMAR PROPORÇEOS DESATROSAS NA NOSSA ILHA. MORO PERTO DA ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ AUGUSTO PNTO E O QUE VEJO DE CRIANÇAS DE 12,13 ANOS DEVIDAMENTE FARDADAS A CONSUMIREM ESSA DROGAA É DESASTROSO E INTRIGANTE COMO NENHUMA AUTORIDADE FAZ NADA APROVEITO PARA CHAMAR OS PAIS A ATENÇAÕ PQ SE CALHAR ELES NEM SABEM QUE ESSAS CRIANÇAS CONSOMEM DE UMA FORMA INGÉNUA ESSA DROGA. MUITAS DAS VEZES FALTAM AS AULAS PARA IREM CONSUMIR.TRISTE TRISTE O RUMO QUE AS NOSSAS CRIANÇAS JOVENS ESTAÕ A TOMAR.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.