Parlamento : Contas do Estado de 2012  aprovadas com votos do PAICV

10/12/2015 08:17 - Modificado em 10/12/2015 08:17
| Comentários fechados em Parlamento : Contas do Estado de 2012  aprovadas com votos do PAICV

PAICVAs Contas do Estado de 2012 foram aprovadas no Parlamento com votos a favor do PAICV e contrários da UCID e do MpD. Não transparência das Contas do Estado e falta de resultados são os motivos apontados para a não aprovação por parte da oposição. O oposto das razões da oposição foram os motivos que levaram o PAICV a votar a favor.

Na declaração de voto, Elísio Freire, líder da bancada do MpD, afirmou que as Contas de 2012 não são transparentes e são incoerentes. “O MpD votou contra porque é uma conta sem rigor, porque vem de uma Ministra das Finanças que, até hoje, todo o Cabo Verde pergunta quanto é que gastou com a candidatura ao BAD e não responde”.

Acrescenta a falta de resultados espelhados na alta taxa de desemprego, desigualdades entre ilhas, dificuldades das famílias e empresários na falência. “As contas deveriam ser mais transparentes e mostrar os verdadeiros gastos do Estado”, conclui Freire.

A UCID, pelo deputado João Luís, foi na mesma linha contra as Contas do Estado de 2012. “Varias incongruências ao longo da leitura do documento. A Ministra tentou justificar o injustificável e não conseguiu e atrapalhou-se. E, por mais que a Ministra tenha falado das obras feitas em 2012, no mesmo ano, a taxa de desemprego foi a mais alta nesta governação”. Luís acrescenta ainda que os resultados “foram fracos”.

Trouxe outra questão à baila: a compra de votos nas eleições de 2011-2012. “No ano das eleições, depositou milhares de contos nas contas de singulares para condicionar o voto dos cabo-verdianos”, sublinha. Neste sentido, o voto foi contra porque o documento não traz à luz aquela “transparência e seriedade” preconizadas pelo Governo, segundo o deputado da UCID.

“Acabámos de assistir a um fenómeno inédito em que há uma coligação negativa contra as Contas do Estado”. Desta forma, Felisberto Vieira analisou a posição da UCID e do MpD. “O Governo que mais prestou contas foi o governo do PAICV. As contas são transparentes e são cristalinas e o MpD procurou passar ao lado de números cristalinos, numa tentativa de colocar poeira na visão dos cabo-verdianos”, afirmou.

O voto a favor, segundo o líder da bancada do PAICV, pretende estimular os governos a “serem leais com os cabo-verdianos e a gerirem o dinheiro do Estado e mostrar onde o dinheiro é aplicado”. Defendeu que a Ministra demonstrou os resultados dos investimentos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.