Centrais sindicais disseram ao PR que querem as eleições legislativas o mais cedo possível

8/12/2015 07:50 - Modificado em 8/12/2015 07:54
| Comentários fechados em Centrais sindicais disseram ao PR que querem as eleições legislativas o mais cedo possível

votoOs representantes das duas centrais sindicais disseram ao presidente da república que querem que ” as eleições legislativa se realizem o mais cedo possível . José Manuel Vaz , presidente da Confederação Cabo-verdiana dos Sindicatos Livres (CCSL ) considerou que ” Deixamos, em termos de preocupação, que as eleições, quanto mais cedo forem marcadas, que seriam melhor, porque o país praticamente está parado, ou seja, o Ministério da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos desde mês de Julho não faz nada, o que não faz sentido, e os ministérios com problemas não dialogam com os seus colaboradores, nomeadamente o Ministério da Justiça, das Finanças”.

Por seu lado o secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindica, Júlio Ascensão Silva considera que ” As eleições têm a ver com algumas questões do ponto de vista das relações de trabalho, nomeadamente a questão do orçamento para o próximo ano que ainda não se discutiu, por isso, dentro dessa perspectiva e no quadro daquilo que está estabelecido legalmente, quanto mais cedo forem as eleições, melhor, para que haja a normalidade no país e para que as questões fundamentais que dizem respeito aos trabalhadores possam ser analisadas, debatidas e resolvidas”

Estas foram as propostas apresentadas pela centrais sindicais ao presidente da república Jorge Carlos Fonseca, que antes da reunião do Conselho da República, marcada para esta terça-feira, com o propósito de discutir e analisar a marcação da data para as próximas eleições legislativas no país, quis auscultar informalmente sobre o assunto, a opinião dos parceiros sociais e de instituições conhecedoras da realidade social e económica do país.

Fonte : Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.