Greve dos professores: Notas dos alunos podem vir a ser congeladas no final do primeiro trimestre

4/12/2015 08:00 - Modificado em 4/12/2015 08:00

professoresO Sindicato Nacional dos Professores considera que o Ministério da Educação e Desporto tem estado a violar continuamente os prazos acordados para a resolução dos problemas pendentes. Uma acta de compromisso foi assinada desde meados de Outubro e, até ao presente momento, aguardam pela decisão. Para além da prometida greve que deverá acontecer no próximo dia 10 deste mês, os professores vão avisando que caso os problemas não forem resolvidos, os alunos poderão ver as notas congeladas no final do primeiro trimestre.

Está agendada para o próximo dia 10 de Dezembro uma mega manifestação dos professores que reivindicam a resolução dos problemas pendentes. O Sindicato Nacional dos Professores acusa o Ministério da Educação de violação dos prazos acordados como forma “de ganhar tempo e dinheiro”.

O SINDEP, Sindicato Nacional dos Professores, através do seu Presidente, Nicolau Furtado, avança que “o Ministério da Educação e Desporto ultrapassou todos os limites” e, em último recurso, os professores poderão partir para o congelamento das notas neste primeiro trimestre que terminará nos próximos dias.

O Presidente acrescenta ainda que a assinatura da acta de compromisso para a publicação dos pendentes foi assinada ainda em Outubro mas não houve, até agora, qualquer pronunciamento por parte da Tutela. Para o mesmo, a versão definitiva do estatuto da carreira docente só veio a ser entregue ao Presidente da República de forma tardia dada a pressão por parte do sindicato.

Os professores não poupam esforços em lutar para conseguirem reaver os seus direitos. No próximo dia 10 de Dezembro, os professores vão aderir a uma manifestação nacional e, caso não surtir efeito, a solução será uma greve e o congelamento das notas.

Em conversa com alguns professores, constatámos que a indignação quanto à não publicação do estatuto docente é quase unânime, por isso, prometem ir à luta com todas as armas que tiverem. Entrevistado por este online, o professor António que diz estar a leccionar desde o tempo em que não havia estrutura escolar no país, acredita que os professores vão vencer a batalha que é merecida.

  1. Francisco andrade

    O Ministério de Educação já poupou 10% do reajuste salarial que foi assinado desde 2010 altura da campanha eleitoral. A classe está de saco cheio e a paciência esgotou. Daí que é normal que partem para o congelamento de notas. A sociedade caboverdiana irá entender a luta dos professores. Pois professor é cidadão e merece ter condições dignas de vida.

  2. Experimentem congelar as notas dos alunos e usá-los na vossa luta para verem o que vos acontece. Os alunos não têm nada a ver com a vossa luta com o Governo. Não tentem utilizá-los e não sejam terroristas. Já basta serem maus professores, pedófilos, alcoolatras e preguiçosos de vez em quando. O terrorismo nunca será aceite em Cabo Verde mesmo que ele venha da classe dos professores. Os alunos e os pais não são moeda de troca. Não vos fizemos nada de nada. Não se vinguem em nós seus malandros sindicalizados.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.