Madeiralzinho: Mulher assaltada ficou traumatizada e não sai de casa há mais de uma semana

2/12/2015 08:16 - Modificado em 2/12/2015 08:16

encapuçadoHá mais de uma semana que a proprietária do Salão Zázá, na zona do Madeiralzinho, foi assaltada à porta da sua residência por um homem encapuçado. A mulher que se diz ainda traumatizada e com medo de sair de casa, ficou sem o seu telemóvel, uma quantia em dinheiro e ainda uma pen drive. O caso está sob a alçada da Polícia.

A dona do estabelecimento Salão Záza recusa-se a sair de casa há alguns dias. O medo de ser assaltada mais uma vez, assola esta mulher que diz não conseguir deixar de pensar no assalto que lhe aconteceu mesmo à porta da sua residência.

Tudo aconteceu num domingo por volta das 23 horas quando a mulher entrava na sua residência. Ainda assustada, a entrevistada diz que um indivíduo encapuçado apontou-lhe uma faca ao pescoço. Com as mãos estendidas e sem pronunciar qualquer palavra, pediu-lhe para entregar os pertences.

Muito assustada e sob ameaça de morte, foi obrigada a entregar a sua bolsa que trazia contendo um telemóvel, uma quantia em dinheiro, o cartão 24 e uma pen drive. O assaltante fugiu do local e até agora não foi identificado.

A proprietária conta ainda que através do seu vizinho foi possível recuperar a sua bolsa contendo apenas o cartão 24 e dois cartões de telemóvel. O assaltante terá subtraído o dinheiro, o telemóvel, a pen drive e abandonado a bolsa da vítima dentro de uma varanda próximo da sua residência.

Para além dessa ocorrência, a mulher diz ainda que dias antes foi roubada dentro do seu estabelecimento. Um indivíduo terá entrado no salão e roubado o seu telemóvel que posteriormente foi recuperado. Desde o último assalto que a vítima diz estar a trabalhar com a porta do salão fechada, pois tem muito medo e o acontecimento tem-lhe deixado bastante traumatizada e até fala em procurar um psicólogo.

A mesma conta que não se trata do único assalto nesta zona pois a sua vizinha também foi assaltada e uma viatura foi destruída por assaltantes ainda não identificados. Para a entrevistada, a zona “não está boa” e os moradores sentem-se inseguros e com receio de saírem à rua devido aos frequentes assaltos que têm assolado a zona do Madeiralzinho.

  1. Clara Medina

    Não é segredo de Estado que um indivíduo que estava preso foi posto em liberdade e entre outros ele é o principal responsável pelos assaltos que vários moradores têm sido vítimas nos últimos tempos no Madeiralzinho.
    Infelizmente e por uma questão de prevenção, nesta circunstância a Polícia deveria estar fisicamente presente mas ao contrário os nossos agentes continuam fechados e seguros nas suas instalações atrás do computador ou confortavelmente dentro das suas viaturas.
    Podem chamar-me se saudosista mas no tempo colonial a Polícia não estava fechada na Esquadra e com a sua presença física tinha um efeito preventivo e dava aos cidadãos um sentimento de segurança.
    Outros tempos, outras normas e assim vamos vivendo cheios de medo e fechados nas nossas habitações barricadas com medo de sair na rua para não ser vítima também de um caçubudista que sem receio de ser apanhado em flagrante delito pode operar a qualquer momento.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.