Transformar as despesas em lucro

17/08/2012 01:15 - Modificado em 17/08/2012 01:15
| Comentários fechados em Transformar as despesas em lucro

Os comerciantes de São Vicente vêem no Festival da Baía das Gatas, uma oportunidade para rentabilizarem o negócio. Mas por enquanto o que conta são as despesas que esperam transformar em lucro.

 

Os comerciantes começaram a montagem das suas barracas na Baía das Gatas há cerca duas semanas. Dizem que é o território para colocarem o seu negócio já foi delimitado e que nas vésperas do início do festival está-se a fazer o transporte dos produtos que serão colocados a venda, mantimento para os familiares, objectos de cozinha e grelhas. Para estes cidadãos, que vivem do comércio, serão três dias debaixo de sol e geada a labutar para que as despesas efectuadas sejam transformadas em lucro.

Para os comerciantes, com quem o NN falou, o Festival da Baía das Gatas é uma oportunidade de negócio que acontece anualmente, por isso decidiram abrir os cordões a bolsa.

Dina Ferreira, proprietária do bar Diná afirma que “ estamos a atravessar um período de crise económica, mas como comerciante sei que o festival é uma actividade rentável para o negócio. Por isso disponibilizei cerca de 80 mil escudos para comprar produtos, como refrigerantes, congelados, géneros e alimentícios e bebidas alcoólicas, entre outros artigos. Agora espero vende-los todos durantes os três dias e conseguir determinada quantia em dinheiro para suportar todas as despesas”.

Já Pedro Rodrigues e Carla Monteiro afirmam que por esta altura a única certeza é de que as despesas estão registadas. Mas que depois do fecho do festival vão sentar-se a mesa com a uma calculadora nas mãos para saberem se valeu a pena trilhar o caminho para a 28ª edição do Festival da Baía das Gatas.

Este online soube, que vários comerciantes abdicaram da compra de certas marcas de cervejas, entre outros géneros alimentícios para não terem prejuízos. Esta decisão tem a ver com o contrato de exclusividade que a CMSV assinou com alguns patrocinadores do festival. E concluem dizendo que “no ano passado tivemos problemas com a comissão organizadora do festival, porque proibiram-nos de entrar com certos produtos na Baía das Gatas. Tudo por causa dos contratos assinados com empresas que tinham exclusividade sobre a venda desses produtos”.

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.