A Hora da Verdade e do Seu Brilho Resplandecer em Mim Chegou – V Parte

25/11/2015 16:36 - Modificado em 25/11/2015 16:36
| Comentários fechados em A Hora da Verdade e do Seu Brilho Resplandecer em Mim Chegou – V Parte

Candido de PinaTudo começou assim: lembro-me que um dia, por volta das 22h, o Inácio me mandou chamar lá no seu apartamento e quando eu fui lá, ele me disse para eu não maltratar as mulheres dentro do Cenáculo com palavras, mas que qualquer coisa que alguma mulher do Centro me fizesse, para eu lhe ir dizer que ele resolveria o problema. Depois os demónios me disseram para eu dizer ao Inácio que eu já entendi. Eu concordei com os demónios e eu disse ao Inácio que eu já entendi. Depois que eu saí do apartamento do Inácio, eu fui até ao apartamento da Recuperação, e o diabo me disse que o Inácio estava a tentar defender as mulheres. Eu concordei com o diabo e eu pensei dentro de mim que o Inácio estava a tentar defender as mulheres. Depois o diabo me deu um grande ódio e uma grande ira contra o Inácio. Eu concordei com o diabo e fiquei a sentir um grande ódio e uma grande ira contra o Inácio. Depois o diabo me disse para eu descer as escadas e para eu ver se a Faustina estava nas escadas, para eu pegá-la e violá-la e que quando eu a violasse, quando o caso fosse à polícia e depois ao tribunal, que eu diria às autoridades que foi o Inácio que me mandou violá-la, e assim o Inácio iria para a cadeia juntamente comigo, e que enquanto eu iria para a cadeia por poucos dias e depois eu sairia, já o Inácio iria para a cadeia por vários anos. Eu concordei com os demónios e eu desci as escadas para ir violar a Faustina e ao descer, encontrei-me com a Faustina a subir as escadas, na companhia do Klá e do Zequinha. Logo os demónios me disseram naquele momento para eu não violar ainda a Faustina porque senão o Klá e o Zequinha iriam impedir a violação, mas sim que eu deveria violar a Faustina mais tarde, numa altura em que ninguém me conseguiria impedir. Eu concordei com os demónios e decidi que naquele momento eu não iria violar a Faustina porque senão o Klá e o Zequinha iriam impedir a violação, mas que eu iria violar a Faustina mais tarde, numa altura em que ninguém me conseguiria impedir. Então eu não violei a Faustina no momento. Depois os demónios me disseram para eu ir ficar lá no apartamento da Recuperação, e quando for a hora certa, que eles demónios me mandariam para eu ir violar a Faustina. Eu concordei com os demónios e eu fui ficar lá no apartamento da Recuperação, para que quando fosse a hora certa, eles demónios me mandassem para eu ir violar a Faustina. Mais tarde, cerca de quarenta minutos depois, os demónios me disseram para eu descer as escadas para eu vir ver se a Faustina estava na escada ou no corredor da entrada cá em baixo, para assim eu violar a Faustina, para o Inácio poder ir para a cadeia. Eu concordei com os demónios e eu desci para vir ver se a Faustina estava na escada ou no corredor da entrada cá em baixo, para assim eu violar a Faustina, para o Inácio poder ir para a cadeia. Quando eu fui lá embaixo, eu não encontrei a Faustina, e logo os demónios me disseram para eu vir me deitar pois que o “nosso plano” era colocar o Inácio dentro da cadeia e que iríamos conseguir isso mais cedo ou mais tarde. Eu concordei e eu vim-me deitar e eu disse aos demónios que o “nosso plano” era colocar o Inácio dentro da cadeia e que iríamos conseguir isso mais cedo ou mais tarde.

Lembro-me um dia de cedo, por volta das 09h, os demónios me disseram que hoje à noite, para eu esperar a mulher do Inácio nas escadas, para eu lhe tapar a boca e lhe violar, e depois que eu lhe violar, para eu lhe dizer que o Inácio é que me mandou violá-la e que assim ela ficaria contra o Inácio e depois quando ela se fosse queixar e a polícia me viesse buscar, que eu então iria dizer à polícia que foi o Inácio que me pagou para eu violar a mulher dele e assim, a polícia levaria eu e o Inácio para o tribunal, e iríamos ambos para a cadeia, mas que eu sairia poucos dias depois, enquanto que o Inácio ficaria dentro da cadeia, e assim eu e os demónios nos vingaríamos dele de vez. Eu concordei com os demónios e concordei que nessa noite eu iria esperar a mulher do Inácio nas escadas, para eu lhe tapar a boca e lhe violar, e depois de eu lhe violar, que eu lhe iria dizer que o Inácio é que me mandou violá-la e que assim ela ficaria contra o Inácio e depois quando ela se fosse queixar e a polícia me viesse buscar, que eu diria à polícia que foi o Inácio que me pagou para eu violar a mulher dele e assim, a polícia iria levar eu e o Inácio para o tribunal, e iríamos ambos para a cadeia, mas eu sairia poucos dias depois, enquanto que o Inácio ficaria dentro da cadeia, e assim eu e os demónios nos vingaríamos do Inácio de vez. Depois os demónios me disseram para eu esperar que quando fossem 21h30mn, para eu ficar na porta da Recuperação à espera da mulher do Inácio vir do ensaio, e que quando ela viesse, que eu lhe agarraria à força, lhe taparia a boca e lhe iria violar dentro da casa de banho. Eu concordei com os demónios e decidi que eu iria esperar quando fossem 21h30mn, e então eu iria ficar na porta da Recuperação à espera da mulher do Inácio vir do ensaio, e que quando ela viesse, que eu lhe agarraria à força, lhe taparia a boca e lhe iria violar dentro da casa de banho. Mais tarde por volta das 21h30mn, eu fui ficar na porta da Recuperação à espera da mulher do Inácio para eu lhe violar. Algum tempo depois a mulher do Inácio veio do ensaio acompanhada de um grupo de mulheres e logo os demónios me disseram para eu não ir pegar a mulher do Inácio para violá-la porque senão as outras mulheres que lhe acompanhavam, iriam impedir a violação. Eu concordei com os demónios e decidi que eu não iria pegar a mulher do Inácio para violá-la porque senão as outras mulheres que lhe acompanhavam, iriam impedir a violação. Depois os demónios me disseram para eu não violar mais a mulher do Inácio nessa noite porque outras mulheres vieram junto com a mulher do Inácio e para eu me ir deitar, mas que eu não deveria me preocupar porque com certeza que temos de pôr o Inácio na cadeia e se caso não conseguirmos pôr o Inácio na cadeia, então que temos de matá-lo. Eu concordei com os demónios e eu decidi que eu não iria mais violar a mulher do Inácio nessa noite porque outras mulheres vieram junto com a mulher do Inácio e eu fui me deitar, pensando dentro de mim que eu não devia me preocupar porque com certeza que eu e os demónios temos de pôr o Inácio na cadeia e se caso não conseguirmos pôr o Inácio na cadeia, então que temos de matá-lo. Depois eu me deitei. Quando eu estava deitado, os demónios me ficaram a pôr a pensar eu em cima da mulher do Inácio a violá-la e depois os demónios me ficaram a pôr a pensar eu a fazer sexo em cima da mulher do Inácio e o Inácio a chegar e a ver eu em cima da mulher dele, a fazer sexo com ela. Eu concordei com os demónios e fiquei a pensar eu em cima da mulher do Inácio a violá-la e eu a fazer sexo em cima da mulher do Inácio e o Inácio a chegar e a ver eu em cima da mulher dele, a fazer sexo com ela. Depois os demónios me disseram para eu pensar eu em cima da mulher do Inácio a manter sexo com ela, como vingança do Inácio e depois para eu masturbar-me ao mesmo tempo em que eu pensava isso. Eu concordei com os demónios e fiquei a pensar eu em cima da mulher do Inácio a manter sexo com ela, como vingança ao Inácio e depois eu masturbei-me ao mesmo tempo em que eu pensava isso.

Lembro-me de um dia logo de manhã, em que os demónios me disseram para eu descer até às escadas que com certeza de que eu acharei lá a Faustina ou a mulher do Inácio, e para eu violar a qualquer delas que eu achar, porque hoje o Inácio tinha de ir para a cadeia. Eu concordei com os demónios e eu desci até às escadas na certeza de que eu acharia lá a Faustina ou a mulher do Inácio, e com a intenção de violar a qualquer delas que eu achasse, porque hoje o Inácio tinha de ir para a cadeia. Mas quando eu desci, eu não me encontrei nem com a Faustina e nem com a mulher do Inácio. Então os demónios me disseram para eu não me preocupar, porque então eu deveria ir comprar gasolina para eu vir matar o Inácio com fogo. Eu concordei com os demónios e eu disse aos demónios que eu não me iria preocupar, pois que eu iria comprar gasolina para eu vir matar o Inácio com fogo.

Lembro-me um dia, era por volta das 22h, os demónios me disseram para eu ir até ao apartamento de Recuperação, para eu furtar as chaves da dispensa e do apartamento do Inácio no Carlitos, para depois eu ir até à dispensa apanhar gasolina e para depois eu ir até ao apartamento do Inácio, e lá para eu pôr lume no Inácio, pois que assim tudo terminaria. Eu concordei com os demónios e eu decidi que eu iria até ao apartamento de Recuperação, para eu furtar as chaves da dispensa e do apartamento do Inácio no Carlitos, e que depois eu iria até à dispensa apanhar gasolina, para depois eu ir até ao apartamento do Inácio, e lá eu iria pôr lume no Inácio, pois que assim tudo terminaria. Eu fui para o quarto do Carlitos, para ir furtar as chaves no Carlitos mas mal eu entrei no quarto do Carlitos e me aproximei dele, o Carlitos acordou e então eu despistei, e saí do quarto dele e me vim embora. Então os demónios me disseram para eu não me preocupar mas sim para eu esperar o outro dia à noite, para eu ir até ao quarto do Carlitos, furtar-lhe as chaves da dispensa e do apartamento do Inácio e depois para eu ir até à dispensa apanhar gasolina e para depois eu ir até ao apartamento do Inácio e lá para eu pôr lume no Inácio. Eu concordei com os demónios em esperar o outro dia à noite, para eu ir até ao quarto do Carlitos, furtar-lhe as chaves da dispensa e do apartamento do Inácio e depois para eu ir até à dispensa apanhar gasolina e para depois eu ir até ao apartamento do Inácio e lá para eu pôr lume no Inácio. Num outro dia à noite, por volta das 23h, os demónios me disseram para eu ir ver se o Carlitos não pôs as suas chaves em cima da banca do seu quarto, para eu apanhar e depois para eu ir até à dispensa apanhar gasolina, para depois eu ir até ao apartamento do Inácio e lá para eu pôr lume no Inácio. Eu concordei com os demónios em ir ver se o Carlitos não pôs as suas chaves em cima da banca do seu quarto, para eu apanhar e depois para eu ir até à dispensa apanhar gasolina, para depois eu ir até ao apartamento do Inácio e lá para eu pôr lume no Inácio. Depois quando eu fui apanhar essas chaves no Carlitos, para ir apanhar gasolina para ir pôr lume no Inácio, o Carlitos voltou a acordar. Quando ele acordou, os demónios me disseram para eu não preocupar pois que o Inácio iria morrer de uma maneira ou doutra, e então os demónios me deram um grande ódio do Inácio, de maneira que se eu lhe pegasse naquela mesma hora, eu lhe comeria vivo. Eu concordei com os demónios e eu disse ao demónios que eu não me iria preocupar pois que o Inácio iria morrer de uma maneira ou doutra, e eu fiquei com um grande ódio do Inácio, de maneira que se eu lhe pegasse naquela mesma hora, eu lhe comeria vivo. Depois tudo acabou dessa maneira e dessa forma.

O Confesso,

 

Cândido de Pina

 

O Purificador Linguístico,

 

Amândio Honório de Jesus Delgado de Brito

 

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.