Simone Pereira: “Ser modelo, uma obra do acaso”

24/11/2015 08:03 - Modificado em 24/11/2015 08:03
| Comentários fechados em Simone Pereira: “Ser modelo, uma obra do acaso”

Simone é o sobrenome de Letícia Simone Brito Pereira. E referir a esse nome nas terras lusas é falar da cabo-verdiana que participou do tele disco de David Guetta e Usher, em 2009, com a música “With you”, da protagonista dos Lisboa mulata dos Dead Comb em 2012 e ainda participante do its mi time da Unitet Coulor of Benettom.

Em conversa com o NN, a jovem cabo-verdeana, natural de São Vicente, que há 11 anos respira o mundo da moda, conta como tem sido o seu percurso no mundo da moda, nas terras lusas, bem como o seu início que segundo a mesma foi obra do acaso.

Simone começa por contar como foi o primeiro contacto com o mundo da moda. Aos 16 anos foi abordada por uma desconhecida a beira de um rio, tentando fazer uma proposta de trabalho, contudo como diz o ditado “quando a esmola é demais o santo desconfia”, Simone diz ter ficado com “pé atrás” com tal proposta.

“Um dia estava eu sentada na margem de um rio, triste, naqueles dias de penúria mesmo feios, sem nada, e de repente aparece uma senhora que senta ao meu lado e começa a rir-se. Furiosa, mandei-a embora e ela disse para ter calma pois tinha uma proposta para mim, me entregou um cartão e foi-se embora”, revela Simone recordando que na altura desconfiou da proposta mas foi convencida por um amigo da família, Tito Paris, a tentar, afinal não perderia nada em tentar”.

“Decidi arriscar, contudo, a minha primeira experiencia foi de completo stress. Fiz o primeiro casting e só conseguia rir de nervoso. Entretanto, no final, fui seleccionada e fiz a minha primeira publicidade “sonho de casa própria do BCA”, conta afirmando que na época levou o trabalho na desportiva, “foi mais uma forma de ganhar um extra”.

A moda entrou na vida de Simone por acaso, realizando um sonho abandonado em criança, o de ser modelo e Miss mundo. “Ser modelo foi um sonho de criança, aos 7 anos queria ser Miss mundo, modelo entre outras coisas. Fazia desfiles no passeio de casa mas depois deixei esse sonho de lado, vim para Portugal estudar belas artes e acabei por entrar no curso de marketing e hoje trabalho com moda”, relembra a jovem sonhadora.

Depois da primeira publicidade, surgiram dezenas de oportunidades, isto é participação em catálogos de lingerie, publicidade Casal Garcia, tintas, roupas de cama, maquiagem, tintas e desfiles para agências de moda. Contudo, o auge da carreira de Simone chegou em 2008/2009 onde a modelo chegou a raspar a cabeça, num acto impulsivo para participar de uma campanha.

“Todos os trabalhos, as campanhas deixaram suas marcas, porém nenhuma com o desenvolvido com base na consciência social. Tive de rapar a cabeça para fazer um casting, nunca tinha cortado o cabelo muito curto, isto sem saber como ficaria ou se ganharia o trabalho. Fui ao casting e a primeira reacção do pessoal foi de admiração pela minha cabeça, segundo eles, perfeita e bonita” conta afirmando que ela só conseguia ver em si um ovo cozido, embora tenha gostado do resultado final.

Este porém não foi o único trabalho a deixar profundas marcas em Simone. “Depois disso fui convidada por um fotógrafo para pousar nua. Aí começou o meu dilema. Aceitei, mas estava a pensar como contar a minha mãe, que até hoje não aceita muito bem. Na época, ela deixou de falar comigo por cerca de dois meses”, conta lisonjeada, reforçando que tal experiência foi como aprender a andar pois estava entrando num mundo carimbado por muitos como errado, “não vêm arte mas sim pornografia”.

Falando da moda em Cabo Verde, a nossa modelo afirma que “o cabo-verdiano em si tem uma versatilidade e originalidade única. Já se fazia moda em Cabo Verde mesmo sem saber, só faltava ser dado o devido valor”, afirma a menina que confessa viver uma história de amor com a câmera.

Por fim, a jovem revela quem é Simone por detrás da modelo, cheia de “frescuras e regras”. Simone começa por dizer que Letícia não existe, é um personagem do mundo da moda. “Eu nunca gostei desse nome Letícia, sempre fui Ticha ou Simone e continuo sendo, atleta de handebol a apaixonada por teatro, música dança. A modelo é cheia de frescuras e disciplina”, afirma Ticha esclarecendo que as duas personagens nunca se misturam pois “cada uma conhece o seu lugar”, embora tenham em comum a mesma forma de amar.

simone pereira

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.