Empresas envolvidas no processo Perla Negra condenadas a pagar 600 contos de multa

23/11/2015 07:42 - Modificado em 23/11/2015 07:42

perla negraAinda referente a sentença do caso Perla Negra as empresas acusadas de terem sido utilizadas para escamotearem, esconder a origem dos bens ilícitos foram condenadas a penas de multas de seiscentos contos.

Para além da condenação dos arguidos, José Prats Vilallonga, Carlos Ortega e Juan Fernandez Bustos, Ariel Benitez, Patrick Komarow a pena de prisão de 15 anos e Alexandre “Xand Badiu” Borges à 16 anos, as empresas, Firma Jovem, Blue Campany, WASA, Bustos Campany, Bar Perla Negra, Orizonto e EuroBuldyng Construções, Boa Ventura Turismo foram indiciadas durante o processo Perla Negra de terem sido usadas para esconder a proveniência dos bens considerados ilícitos.

Por isso Tribunal entendeu condenar essas empresas a uma pena de multa de seiscentos contos, fraccionadas em dez mil escudos diários. O bar Perla Negra que deu nome ao processo, conforme o Tribunal era o local onde os arguidos se iam encontrar para reuniões.

Os seis indivíduos surpreendidos pela PJ em flagrante delito na posse de 521 quilos de cocaína dissimulada em sacos de viagens. A droga foi deixada numa praia de Salamansa por um iate que vinha da América Latina e tinha como destino a Europa. Foram ainda apreendidas duas metralhadoras G3 FMP, duas pistolas e um revólver de pequeno calibre e 320 munições de diferentes calibres.

  1. JOAO

    SOMENTE 600 CONTOS!!! A multa devia ser um valor mais elevado.

  2. Atento

    Não seriam antes seis mil contos (6.000.000$ECV), uma vez ter o juiz os condenado a seiscentos (600) dias de multa, a razão de dez mil escudos (10.000$00 ECV) diários.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.