Professores prometem manifestação nacional em Dezembro

23/11/2015 07:31 - Modificado em 23/11/2015 07:31

professoresOs professores de São Vicente e o SINDEP reuniram-se este sábado, 21, e decidiram que no dia 10 de Dezembro vão manifestar a nível nacional e, caso os assuntos pendentes não se resolverem, deverão partir para a luta. O Presidente do Secretariado Executivo, Nelson Cardoso, alerta que o mês de Dezembro não será apenas para manifestação mas sim ”um período de luta intensa e continuada”.

“Não se pode esperar mais”, os professores querem ver a publicação do Estatuto, pois já havia um entendimento, até a assinatura da acta e disseram que até finais de Novembro o Estatuto deveria estar publicado mas, até agora, o documento nem sequer chegou à Presidência da República.

Após vários prazos e reuniões para se chegar ao melhor diálogo e entendimento, os professores não vão ficar de mãos cruzadas. Indignados com a situação que reina há vários anos no seio da classe, os professores voltaram a reunir-se.

Como forma de demonstrar, mais uma vez, o próprio descontentamento, vão aderir a uma manifestação nacional no dia 10 de Dezembro e prometem não ficar por ali caso os problemas não forem resolvidos.

O Secretário Executivo, Nelson Cardoso diz que a classe docente não irá ficar apenas pela manifestação, logo, o mês de Dezembro será um período de luta intensa e continuada. A resolução dos pendentes que seja até ao dia 15 de Dezembro, caso contrário, partirão para uma luta renhida com manifestações e greves. Os professores já falam na possibilidade de congelar as notas dos alunos.
Cardoso avança que em Outubro os dirigentes reuniram-se e estabeleceram um prazo para a publicação do Estatuto dos professores, pois já existia um entendimento com o sindicato. O responsável diz não entender a razão pela qual o diploma ainda não foi publicado.

Depois de várias insistências e lutas, o Ministério da Educação prometeu que o Estatuto deveria estar publicado até ao mês de Julho, mas tal não se realizou. A luta é de todos, por isso, os professores prometem lutar para verem os assuntos pendentes resolvidos e, para isso, não se pode perder mais tempo e apelam para uma maior aderência por parte dos colegas.

  1. Francisco

    O que o Ministério quer é ganhar tempo e dinheiro. A luta dos professores comecou com a greve nos dias 25 e 25 de Fevereiro. O senhor ministro Démis foi a comunicação social em Setembro falando que os Estatutos estavam aprovados para que os professores não boicotassem o ano lectivo. E depois vê-se que o governo quer deixar a classe desmotivada, para tirar proveito nas campanhas eleitorais. Mas engan-se se a ministra de educação pensa que conseguiu desmoralizar a classe. Haverá lutas e mais lutas.

  2. Francisco

    Correção: greve nos dias 24 e 25 de Fevereiro.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.