Governo de Cabo Verde reafirma compromisso de trabalho no combate as ameaças à paz global

23/11/2015 07:29 - Modificado em 23/11/2015 07:29
| Comentários fechados em Governo de Cabo Verde reafirma compromisso de trabalho no combate as ameaças à paz global

radisson blueCom o último ataque terrorista em Bamako, no Hotel Radisson Blue no passado dia 20 de Novembro, o Governo de Cabo Verde reafirma, através do Ministério das relações exteriores, o seu compromisso de trabalho no combate as ameaças à paz global.

“O Governo saúda as medidas prontamente tomadas por Sua Excelência o Presidente Boubacar Keïta e reafirma o seu firme compromisso de continuar a trabalhar com toda a comunidade internacional na procura da melhor forma de fazer frente a essa terrível ameaça que põe em causa a paz e a estabilidade global”, lê-se numa nota enviada à imprensa

O Governo condena ainda e o referido ataque terrorista, precisamente no momento em que se registam progressos significativos no processo de paz no Mali e os grupos signatários do Acordo se encontravam em Bamako para a sexta reunião do respectivo Comitê de Seguimento, entre o governo e os parceiros internacionais.

“Este acto hediondo, que tinha por objectivo fazer gorar o acordo, evidencia também que nenhum país está imune ao terrorismo, pelo que é necessário untar esforços para combatê-lo de forma eficaz e em todas as frentes”, diz ainda a nota.

Posto isto, nesta hora difícil, o Governo de Cabo Verde reafirma a sua total solidariedade com o Governo e o povo irmão do Mali e expressa o seu mais profundo pesar e sentidas condolências às famílias enlutadas, desejando rápido restabelecimento aos feridos.

De referir que este ataque no hotel de Bamako, acontece após uma semana do atentado em Paris durante o jogo amigável entre França e Alemanha, pelas mãos do estado islâmico. Em Mali foram contabilizados 27 mortos na sequência do atentado.

De realçar ainda que segundo informações avançadas pelo jornal Correio da manha (Portugal), os grupos terroristas Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) e Al Murabitun reivindicaram o “ataque conjunto” por via de uma declaração feita por telefone à agência de notícias privada da Mauritânia Al Ajbar.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.