Prémio RFI 2015: Elida Almeida celebra mais uma “ora doce”

18/11/2015 07:50 - Modificado em 18/11/2015 07:50
| Comentários fechados em Prémio RFI 2015: Elida Almeida celebra mais uma “ora doce”

elida_almeidaA jovem cantora cabo-verdiana Elida Almeida venceu na tarde desta terça-feira o prémio revelação RFI 2015, com as composições “Nta konsigui e Lebam Ku bo” do seu álbum “Ora doce, ora margós”. Músicas escritas pela própria cantora e que retratam a sua infância e juventude.

O anúncio que desvendou a vencedora, entre os 14 finalistas, do concurso musical “Prix Decouverte RFI” 2015 foi feito através do site da emissora francesa organizadora (Prix Decouverte) que pretende distinguir, sobretudo, os trabalhos dos artistas francófonos. Embora nesta edição o premio tenha ficado na lusofonia.

Na sua página oficial da rede social Face Book, a cantora demostrou o seu “profundo” agradecimento pelo prémio bem como a todos que tornaram possível essa vitória, através das votações online.

“Eu sabia que juntos, teríamos mais força. Obrigado do fundo do meu coração, por terem acreditado em mim e por terem tirado um pouco do vosso tempo para votarem. É um orgulho, uma sensação que com palavras não sei explicar. Prometo fazer de tudo para levar a nossa música, terra e nosso Cabo Verde mais longe possível. Obrigado meu povo”, escreveu a cantora que termina com o hastag” #‎DJUNTUNUTAKONSIGUI‬

Quem também sente-se orgulhoso com esta vitória é José Maria Neves, primeiro ministro de Cabo Verde, na sua página pessoal do Face Book. “Elida Almeida ganha Prix Découvertes 2015, RFI. Fantástico! Cabo Verde está num bom momento”, escreveu o chefe do Governo de Cabo Verde.

De recordar que o álbum “ora doce, ora margós”, da jovem de 22 anos natural da ilha de Santiago, composta por 12 faixas, foi lançado em finais de 2014 e conta com arranjo musical de Hernâni Almeida.

Importa ainda realçar que cantora de batuque, morna e funana, venceu em 2015 o prémio Cabo Verde Music Awards na categoria revelação do ano. E desde então tem saído em digressões apresentando o seu primeiro trabalho discográfico.

Almeida ganha com o RFI, cerca de 10 mil euros e viagens para África, e França para mais divulgação e promoção do seu trabalho, que vem sendo por muitos, aplaudido.

Com este prémio, Cabo Verde acumula dois prémios RFI, pela voz de seus artistas. O primeiro foi ganho pelo cantor também da ilha de Santiago, Tcheka (Manuel Lopes Andrade), no ano 2005.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.