Juiz coloca em TIR agente da PN acusado de ter morto um jovem a tiro

13/11/2015 23:33 - Modificado em 13/11/2015 23:33

juiz3Dionísio Rocha, agente da Policia Nacional, suspeito de ter morto a tiro o jovem Rudnei Santos Sousa da Cruz, na zona de Ribeira de Julião, foi hoje presente ao Tribunal. O 1º Juiz Crime entendeu aplicar Termo de Identidade e Residência ao agente. O mesmo ficou proibido de sair do país e da comarca de São Vicente tendo de apresentar-se ao Tribunal, três vezes por semana.

Era por volta das quinze horas desta sexta feira 13, quando Dionísio Rocha, agente da Policia Nacional, suspeito de ter morto a tiro o jovem Rudnei da Cruz foi presente ao Juiz para o primeiro interrogatório. Durante mais de uma hora de interrogatório o 1º Juiz Crime entendeu colocar sob Termo de Identidade e Residência o agente. Dionísio Rocha, que vai aguardar julgamento em liberdade, deve ainda apresentar-se ao Tribunal três vezes por semana e está proibido de sair do país ou até mesmo de se ausentar da ilha.

Na madrugada de terça-feira, 11, o agente policial, terá disparado vários tiros, tendo atingido o jovem na zona da ilharga, na parte  detrás,  e outra na cabeça, conforme a autopsia. Este online tentou a versão do agente da PN, tanto na Esquadra policial onde se encontrava, como no Tribunal, mas tal não foi possível tendo este recusado falar com este online. Tentamos ainda o advogado de defesa, que apenas adiantou a medida de coação. Questionado sobre a detenção do arguido, a defesa avança que o mandato de detenção só foi enviado pelo Ministério Público esta sexta feira, tendo em conta os expedientes a serem feitos antes da detenção. Fica assim a faltar a versão  do arguido .Mas de acordo com amigos de Dionisio, este terá sido atacado  com pedras  pelo jovem em questão e disparou alguns tiros para o ar para assustar o atacante. Mas  este não intimidou-se e para salvar a sua vida tentou disparar para as pernas. Colegas de profissão sustentam que Dioniso agiu em legítima defesa e acrescentam que é um “bom polícia  e um bom homem. Os familiares do jovem morto tem outra versão. Afirmam que Rudnei Santos Sousa da Cruz saiu de casa na noite de segunda-feira para ir à uma “guarda cabeça” na zona de Ribeira de Julião. O mesmo foi acompanhado de alguns amigos. A vítima que residia na zona de Ribeira de Craquinha, terá sido perseguida por cães pertencentes ao agente da PN, e este para se defender atirou pedras aos animais.

O jovem de 18 anos deu entrada,  terça-feira 10, nos serviços de urgência do Hospital Baptista de Sousa com ferimentos de bala e acabou por falecer horas depois da  intervenção cirúrgica  realizada para estancar a hemorragia.
A autópsia realizada, revelou como causa de morte choque hipovolémico, caracterizado pela perda de grandes quantidades de sangue e líquidos, o que pode levar à morte em poucos minutos.

  1. Francisco andrade

    na vitrine do Sr Djibla encontra-se um extrato de um jornal online que diz ter ouvido a versão do agente.Se o agente Dionísio chamou a piquete, e estes deixaram os rapazes na cidade em que foram identificados para depois serem libertados, penso que não havia razão,desses mesmos rapazes retornar ao local e agredir o policial com pedras.Resta saber se o juíz ouviu ( ou irá ouvir ) os rapazes que estavam com o Falecido

  2. Francisco andrade

    Ninguém quer ver um ente querido morto..mas convêm evitar certas situações

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.