PCA da TACV: “estão a fazer política às custas da companhia nacional”

4/11/2015 07:51 - Modificado em 4/11/2015 07:51

joao pereira silvaO presidente do Conselho de Administração da TACV, João Pereira Silva, afirma que as questões acerca da companhia de bandeira nacional estão a ser politizadas e garante que não irá fazer parte desse jogo político.

O PCA da TACV diz à RCV que “estão a transformar isso numa campanha política e querem destabilizar a companhia, isso porque algum grupo de trabalhadores internos não aceita certas alterações para não mudarem o seu status quo. Os clientes não querem pagar mais, porém, não podemos operar com bilhetes mais baratos porque não temos subsídios e temos de equilibrar as nossas contas com as receitas que geramos. Também não podemos fazer despedimentos porque a lei laboral não o permite”.

Todavia, o administrador reconhece que a TACV sempre foi uma empresa deficitária e acredita que o plano estratégico da empresa irá funcionar, uma vez que é a forma de estabilizar a tesouraria. João Pereira Silva critica as intenções de algumas pessoas que foram à reunião nos EUA para fazerem política e “alguns pensam como no tempo que eu era Ministro do partido único, que a empresa é do Estado e que inclusive podem viajar de urgência sem seguirem a gestão das tarifas de urgência”, refere João Pereira Silva e, acerca dos imigrantes, acrescenta que eles também querem levar encomendas, bagagens de mão e não aceitam explicações porque acham que o Governo tem de resolver isto.

No entanto, o PCA da TACV garante que está a ser estudada uma opção para os voos dos EUA para Cabo Verde. Entre as opções está o terminar a dependência de um único avião.

  1. Gonçalo Amarante

    Este assunto do TACV por ser muito sério deve ser tratado com seriedade para o bem de Cabo Verde e da sua imagem no mundo. Querendo tasquinha-lo para obter dividendos políticos pode um outro fazê-lo e quem fica a perder somos nós, ou seja, o nosso Cabo Verde. Que se procure melhor forma de o resolver a contendo de todos.

  2. Antonio

    Sr. PCA da TACV demite-se! Deixa livre o espaço da TACV para quem tem competencia para administrar. Vergonha!!!

  3. ATENTO

    SE A TACV NÃO AGUENTA QUE DEIXA OUTROS CONCORRENTES EXPLORAR AS ROTAS INTERNAS E EXTERNAS. Os Cabo-verdianos não podem pagar pela má gestão dos sucessivos PCA e demia Administradores – comissários políticos.

  4. CS

    Como passageiro assíduo da TACV, penso que esta companhia tem todas as condições para se manter em actividade e não tentarem descrebilizar a mesma perante a opinião pública quer nacional quer internacionalmente.
    Eu próprio já tenho constatado que há alguns funcionários que pouco fazem, em especial os da área do chek-in, passeiam-se de um lado para o outro em vez de no mínimo prestarem algum auxílio quando o mesmo lhes é solicitado. Assim a companhia não vai para a frente e os próprios passageiros (turistas) muitas das vezes se interrogam da balbúrdia que vai naquela zona, passageiros a fazer o chek-in com excesso de bagagem, depois param para mudar para outras malas o que vai a mais na anterior, atrasos constantes na fila da mesma, enfim. Acho que há que tomar uma atitude firme e quem não acatar as directrizes pura e simplesmente muda de serviço. Também é sabido que o passageiro Cabo-verdiano quer transportar este mundo e o outro, reclama, reclama, mas se viajar numa companhia de outro País só transporta mesmo aquele peso exigido e o que for a mais paga na altura do chek-in. Então se for em low-cost esses é que nem nada quasi e nem sequer têm comida nem lugares marcados e no interior só podem levar uma pequena mala de até 3kg. Bem e por fim, quanto ao custo dos bilhetes no site está um valor e quando é depois adquirido o bilhete o valor é mais alto, como é então? O que é que está mal? O valor indicado no Site ou que a agência cobra????? Há que corrigir essa situação. Também o porquê no site da TACV não ser possível fazer a reserva do lugar como nas outras companhias?? O Site da TACV está um bocado desactualizado e há que fazer as alterações respectivas, ou seja fazê-lo mais funcional.

  5. POVO

    Situação Politizado, TACV sempre foi, basta ver o PCA actual. Um gestor que é gestor apresenta números e não justificações politicas e mais triste dizer que os clientes não querem pagar mais. Argumento de despedimento só seria válido se o PCA tivesse um salário de uma empresa deficitária.

  6. jj

    olha o comissario politico a disser que estão a fazer politica com os TACV . Paxensa !!!!

  7. Praia Maria

    Senhor PCA dos TACV
    É para isso que um gestor é formado e preparado. Um gestor que se preze é preparado e formado para gerir as situações mais complexas dentro de uma empresa. Por isso que um gestor deve suportar as suas decisões com base em princípios económicos tais como: escassez, custo-benefício, incentivo, vantagem comparativa, custos de oportunidades crescentes, eficiência e equilíbrio.
    Pelas suas palavra vê-se nitidamente que o senhor desconhece completamente esses princípios e como tem um problema de gestão bicudo entre mãos, resolve politizar a questão. No mundo de hoje já não é possível aumentar os rendimentos das empresas através dos aumentos constantes de preços. Esses tempos já passaram. Será que já pensou em fazer uma análise profunda dos custos da empresa através de uma contabilidade analítica competente com as ferramentas atuais que existem?
    Pelos vistos por aquilo que o senhor anda a dizer na imprensa, falta-lhe muito em termos de conhecimentos de gestão para gerir uma empresa e mormente uma empresa da complexidade dos TACV.
    O governo enquanto acionista único deve intervir de imediato e por cobro a essa situação antes que seja tarde demais. O tempo urge

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.