São Vicente: jovens cada vez mais afectados por transtornos mentais

3/11/2015 08:08 - Modificado em 3/11/2015 08:08
| Comentários fechados em São Vicente: jovens cada vez mais afectados por transtornos mentais

doente mentalOs jovens continuam a ser alvo das doenças mentais, uma situação que tem vindo a preocupar as autoridades de saúde. O álcool, as drogas, o desemprego e outros factores estão relacionados com a prevalência dos transtornos mentais nos jovens.

É cada vez mais notável a prevalência das doenças mentais nos jovens. Embora em Cabo Verde não existam dados que permitam quantificar a percentagem de jovens afectados, os centros de apoio aos doentes mentais estão lotados, tornando difícil a capacidade de resposta dos centros, visto que surgem, cada vez mais, novos casos.

A prevalência dos casos de doença mental, sobretudo nos jovens, tem sido uma preocupação para as autoridades de saúde. Em entrevista com a psicóloga Denise Lima, Delegada da A Ponte em São Vicente, a mesma considera que normalmente as doenças mentais dão os primeiros sinais na fase da adolescência e da juventude e depois, na idade adulta, os sintomas são mais visíveis e persistentes, caso não houver uma avaliação e intervenção eficaz. Isso acontece muitas vezes porque os familiares e as pessoas próximas não estão preparadas para identificarem esses sinais que são tidos como “esquisitices” da adolescência e da juventude e, portanto, não são encaminhados para os serviços de saúde.

As doenças mentais estão presentes em todas as faixas etárias e, segundo a responsável, existem muitas causas que afectam a saúde mental, nomeadamente, o alcoolismo que, infelizmente, tem afectado grande parte da sociedade, principalmente na ilha de São Vicente onde a taxa de consumo é bastante alta.

Entende a psicóloga que o consumo de substâncias como as drogas também está na origem de doenças mentais nos jovens. O aumento do desemprego na camada jovem também é apontado como uma das causas da prevalência das doenças mentais.

Para Denise Lima, os factores acima referidos têm permitido reunir dados que lhe possibilitam afirmar que essas situações têm vindo a contribuir para o aumento de casos das doenças mentais nos jovens.

São problemas bastante complexos, por isso, são necessárias várias medidas, daí que várias instituições de diferentes sectores da nossa sociedade vêm trabalhando em concertação no combate por exemplo do alcoolismo, do consumo de drogas e de vários outros problemas sociais a fim de diminuir a sua prevalência.

Para diminuir a tendência do aumento desses casos, o Ministério da Saúde visa aumentar nos Centros de Saúde, o número de técnicos de saúde mental, na tentativa de se aproximar da comunidade, melhorando assim a sua capacidade de resposta.

Para a representante da Associação A Ponte, quanto mais cedo se procurarem os serviços de saúde, maior serão os resultados em termos de reabilitação, permitindo evitar situações graves de cronicidade que poderão manifestar-se posteriormente.

 A CMSV também é umas das instituições que mostra preocupação sobre esse assunto, pois o Centro de Apoio aos Doentes Mentais é cada vez mais solicitado, mas a capacidade para receber doentes é limitada.

Apesar de não existirem dados concretos sobre a prevalência das doenças mentais nos jovens cabo-verdianos, a falta de capacidade de resposta dos centros em receber os novos casos tem retratado a incidência dos transtornos mentais.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro para o Controlo e a Prevenção de Doenças nos Estados Unidos, 20% das crianças e adolescentes nesse país sofre de algum tipo de transtorno mental como ansiedade, depressão ou deficit de atenção.

É de referir que as doenças mentais também estão relacionadas com vários casos de suicídio nos jovens.

Ainda segundo a OMS, muitas pessoas não procuram tratamento por causa do estigma relacionado à doença mental. “Em todas as partes do mundo, milhões de pessoas sofrem de transtornos mentais. Uma em cada quatro pessoas será afectada por um tipo de transtorno mental nalgum momento da sua vida. Em todo o mundo, a depressão incapacita mais pessoas do que qualquer outra doença. A esquizofrenia e o transtorno bipolar estão entre os distúrbios mais graves e incapacitantes. Embora afectem um grande número de pessoas, os transtornos mentais continuam invisíveis, negligenciados e discriminados”.

 

 

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.