Caso Perla Negra: Testemunhas residentes na ilha de Santo Antão ouvidas no Tribunal

3/11/2015 08:04 - Modificado em 3/11/2015 08:04
| Comentários fechados em Caso Perla Negra: Testemunhas residentes na ilha de Santo Antão ouvidas no Tribunal

tribunalO Tribunal de São Vicente procedeu, na tarde desta segunda-feira, através de videoconferência, à audição das testemunhas residentes na ilha de Santo Antão envolvidas no processo Perla Negra.

Prossegue, no Tribunal de São Vicente, a audição das testemunhas envolvidas no processo que ficou conhecido como operação “Perla Negra” e que levou à apreensão de 521 quilos de cocaína e à detenção de seis pessoas.

Na impossibilidade de audição de forma presencial, o Tribunal da Comarca de São Vicente recorreu às tecnologias para recolher as declarações das testemunhas que se encontram fora da ilha de São Vicente.

Após a suspensão do julgamento durante treze dias, o Tribunal de São Vicente retomou o julgamento dos arguidos envolvidos no processo de tráfico de droga. Os arguidos estão a ser acusados da prática do crime de tráfico de droga de alto risco agravado, associação criminosa, lavagem de capital e detenção ou porte de arma.

Através de videoconferência as testemunhas residentes em Santo Antão testemunharam e responderam ao Tribunal o que sabiam acerca das actividades dos arguidos. Uma delas, é a pessoa que, segundo o arguido José Villalonga, terá adquirido uma habitação na ilha das montanhas.

Parte das testemunhas também ausentes da ilha de São Vicente serão ouvidas em videoconferência da ilha do Sal e de Santiago. A audiência acontece esta manhã, 03 de Novembro, no 1º Juízo da Comarca de São Vicente.

Os seis indivíduos José Prats Villalonga, espanhol, Ariel Benitez, cubano, Patrick Komarow, sueco, Alexandre Borges, conhecido como Xando Badiu foram surpreendidos pela PJ em flagrante delito na posse de 521 quilos de cocaína e estão a ser acusados de tráfico internacional de droga e associação criminosa e encontram-se em prisão preventiva desde o mês de Novembro do ano passado.

A droga foi deixada numa praia de Salamansa por um iate que vinha da América Latina e tinha como destino a Europa. Foram ainda apreendidas duas metralhadoras G3 FMP, duas pistolas e um revólver de pequeno calibre e 320 munições de diferentes calibres.

As duas metralhadoras G3 e as munições foram apreendidas em casa de Xando três dias depois. Xando foi detido na estrada do Lameirão com cerca de 320 quilos de cocaína no seu Hyace.

Os mesmos incorrem numa pena de quatro a doze anos de prisão por tráfico internacional de droga e dois a oito anos por associação criminosa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.