EXPOMAR: o mar no centro das atenções

27/10/2015 08:14 - Modificado em 27/10/2015 08:14

franklin spencerDesde ontem, o mar e as suas actividades estão no centro das atenções na ilha de São Vicente, por ocasião da Semana do Mar, evento com epicentro na IVª edição da Expomar, escreve a Inforpress.

A organização pertence ao Ministério das Infra-estruturas e Economia Marítima e o Núcleo Operacional do Cluster do Mar (NOCMAR), entre outros parceiros, num certame que se vem consolidando ano após ano, explicou Franklim Spencer, do NOCMAR, como um “importante ponto e momento de encontro” de actores ligados à economia marítima e uma “oportunidade extraordinária” para que se possa promover o potencial de negócio do país nessa matéria.

Nos primeiros dias da Semana do Mar que antecedem a IVª edição da Feira de Actividades Ligadas ao Mar (Expomar), que principia na quinta-feira, 29, a organização reservou espaço para uma série de palestras e workshop sobre temas diversificados que vão do “bunkering” à segurança, passando pelos transportes marítimos, busca e salvamento, regulação, soberania marítima, entre outros.

A IV Expomar propriamente dita, que será aberta oficialmente pelo Primeiro-ministro José Maria Neves, às 17:00 de quinta-feira, 29, nas instalações da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), na Laginha, dará, segundo Franklim Spencer, um ”grande destaque” aos desportos náuticos, nas componentes institucional, desportiva, educativa e de uma “maior aproximação” do cabo-verdiano ao mar, com “aposta forte” no “crescimento azul”.

Por isso, segundo Franklim Spencer, os desportos náuticos serão o “tema de eleição” para este ano, com “uma forte participação” da Direcção-geral dos Desportos e dos operadores e associações que já operam quer nos aspectos desportivos, quer de negócio, como por exemplo a pesca desportiva.

“Esta será uma oportunidade para essas instituições/associações promoverem, divulgarem e darem a conhecer os esforços enormes que fazem, quer na concretização de competições, quer como área de negócio”, precisou a mesma fonte, para quem existe a possibilidade ainda de atrair o interesse de novos operadores para investirem nessas áreas.
Da mesma forma, uma outra novidade da feira será a inclusão de um tema relacionado com a pesca sustentável dos tunídeos, trazendo a Associação dos Armadores de Pesca do atum para uma “grande reflexão” à volta do tema, fundamentalmente a pesca no corredor do Atlântico.

Relativamente à participação de empresas e instituições do exterior, a mesma fonte revelou a participação “pela primeira vez” do cluster marítimo do Luxemburgo e com uma “forte presença” também da Junta da Galiza e de operadores económicos da Galiza, dos Açores, Madeira e Canárias, de operadores da sub-região africana, da CEDEAO, para além do interesse manifestado por alguns clusters da Europa, como Holanda, França, Noruega e Bulgária.

Da mesma forma, está garantida a participação dos Estados membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que apostam na “Economia do Mar”, presença agendada e deliberada na II Reunião Extraordinária de Ministros de Assuntos do Mar da CPLP, realizada em Junho.

A última edição da Expomar realizada em São Vicente, a terceira, assumiu um carácter “mais empresarial e comercial” e reuniu empresas maioritariamente de Cabo Verde, para além de Espanha e Portugal, distribuídas por 54 stands.

Tratou-se, com efeito, da edição que marcou o “ponto de viragem” na organização da Expomar, como declarara na ocasião o presidente da CCB-AE, Belarmino Lucas, uma vez que foi a primeira edição em que o sector privado teve uma “intervenção decisiva” na sua organização, como também na “nova feição”.

  1. Manuel M. Fernandes

    Outubro e Novembro são os melhores meses para recebermos quem nos visita em Mindelo. Tem sido o momento da Feira. Tempo limpo, paisagens verdes que as objectivas gostam de fixar para recordação. Importa saber se quem nos visita para a Feira vai com uma ideia que valeu a pena. Eu não acredito que assim seja. A classe privada continua a deixar nas mãos a organização da Feira o Estado, e, este que gosta de estar sempre presente, adora. Seria a Feira um momento de estimular o Capital do saber que existe em Mindelo e que tende a desaparecer: a falta de estimulos para esses momentos e essas ações não existem. Convidar os Alunos das Escolas Profissionais acompanhados pelos seus mestres: Convidar pessoalmente os Carpinteiros, Ferreiros, Funileiros, mecânicos seria um momento de os provocar e a estimula-los a desafios de aprendizagem em como é preciso modernizar para competir. No fundo seria capitalizar o que os Impostos dos Cidadãos propocionaram, a bem do futuro da Feira e do País.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.