A cocaína pode sair de Cabo Verde em contentores de empresa legais

27/10/2015 08:01 - Modificado em 27/10/2015 08:01

Cocaina1Marcos Alvar, que coordena o projeto de cooperação policial Ameripol-UE, admitiu ,em conversa com os jornalista á margem do seminário sobre cooperação policial na luta contra o tráfico de droga, que decorre até sexta-feira, na cidade da Praia, Cabo Verde, que a droga pode sair de Cabo Verde em contentores de empresa legais.”

As redes internacionais recorrem cada vez mais a contentores legais para fazer entrar a droga na Europa” – disse admitindo que que ilhas como Cabo Verde ou as Canárias têm “posições interessantes” para essa prática e explica a sua ideia: “O mercado global de contentores move-se cada vez mais pelo mundo. Fazer chegar um contentor a qualquer parte do planeta é muito simples e tem um risco mínimo. Pode ser levado para qualquer parte com qualquer mercadoria e uma técnica cada vez mais comum é o “gancho cego”, onde empresas legais são infiltradas por organizações criminosas que abrem os contentores e lá inserem a droga para a fazer chegar ao destino”. Esta tese , tese porque esse expediente nunca foi confirmado na prática , explica , em parte,  a entrada e a saída de grandes quantidades de cocaína que se sabe quem entram no pais . E a PJ nunca conseguiu desmantelar uma rede internacional seguindo o rasto da droga desde a entrada no pais a sua saída .Pelo contrário tem optado por apanhar droga e deter quem está na sua posse . Como aconteceu , agora , com os 521 quilos  de cocaína apreendidos na operação Perla Negra, mas deixando o circuito intacto .

Marcos Alvar,inspetor-chefe do Corpo Nacional de Polícia de Espanha, considera que “Há certas ilhas, espanholas e de origem portuguesa, que têm posições muito interessantes para que essa mercadoria possa ser desviada por outros meios. Pode chegar num barco ou veleiro e depois ser enviada para a Europa por contentor” . Isto porque , no seu entender ,o tráfico através de barcos e veleiros que chegavam às costas portuguesas e espanholas foi fortemente combatido, obrigado as redes criminosas a procurar alternativas.

  1. Francisco andrade

    se os criminosos introduzem a droga nos contentores cabe a Interpol financiar câmeras para colocar perto(ou dentro dos contentores) e deter os traficantes. Senão isso pode causar um grave problema as empresas nacionais

  2. Fernando Pessoa

    Ate aqui nada de novo. Para começar como pode um Pais pobre, que nada produz e que vive de esmola e caridade internacional como Cabo Verde possuir tantos carros de alta gama espalhados por todo os cantos, vilas luxuosas, riquezas exibidas pornograficamente enquanto os seus donos usufruem um salário que não justifica a possessão de tantos bens.
    Muitos não herdaram pois a maioria dos seus pais eram pobres ou remediados e nem tão pouco trabalharam para conseguirem tamanha riqueza em tão pouco tempo.
    Está claro que ninguém investiga, todos olham para o lado e as autoridades e os políticos estão satisfeitas com o status que.
    A máfia está bem infiltrada na sociedades cabo-verdiana e a todos os níveis. As detenções que de vez em quando são feitas não passam de operações cosméticas e para “chinês ver”

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.