PAICV esconjura fantasmas na abertura do novo ano político

26/10/2015 07:25 - Modificado em 26/10/2015 07:25

PAICVO PAICV abriu o novo ano político esconjurando o fantasma da desunião que recentemente lhe valeu não ter elegido o seu candidato presidencial e que ameaça o partido desde que Janira assumiu a liderança. Assim se compreende o apelo à união e coesão que caracterizaram o acto que decorreu na Assembleia Nacional com a Presidente sentada no meio de José Maria Neves e Felisberto Vieira.

E, principalmente, o discurso dos três que pediram aos militantes para se concentrarem no essencial e prioritário que é Cabo Verde ganhar e o PAICV vencer as eleições de 2016 e com JHA a sintetizar que “este é o momento da união e coesão. Vamos continuar a trabalhar e a sonhar juntos. Temos capacidade para apresentar aos cabo-verdianos novos horizontes de esperança e certeza. A vitória está nas nossas mãos”. A tónica colocada na questão da coesão dos militantes mostra que esse assunto perturba o PAICV e que não é apenas especulação dos jornais ou o maior desejo do MpD em ver o cenário das presidenciais a repetir-se. Mas José Maria Neves, Felisberto Vieira e Janira Hopffer Almada foram mostrar uma imagem de coesão como tinha acontecido no final do debate do Estado da Nação no Parlamento. E o primeiro a esconjurar os maus fluídos da divisão foi, precisamente, Filú ao dizer que “esta é a hora da mobilização geral, de estabelecer um profundo compromisso ético e patriótico para, juntamente com a nossa líder Janira Hopffer Almada, fazermos o PAICV ganhar e para que Cabo Verde possa continuar a ganhar. Eu estou absolutamente disponível para juntar e ajudar o PAICV a ganhar”. JMN não saiu do roteiro da união e afirmou que “espero que continuemos a dar exemplo de democracia e liberdade dentro do partido e que nos próximos desafios consigamos mobilizar, como fizemos primeiro Por Amor à Terra, depois Por Cabo Verde e Mais Cabo Verde. Agora, juntos, com mais ambição, vamos rasgar novas fronteiras para Cabo Verde”.

A líder mostrou conhecer o roteiro e começou por dar protagonismo aos actores secundários como Felisberto Vieira e Cristina Fontes, derrotados na corrida à presidência do PAICV, atribuindo-lhes a importância de Cabral ou de José Maria Neves, pois afirmou que pretende beber nos ensinamentos de Amílcar Cabral e inspirar-se na experiência de José Maria Neves, mas também quer contar com Felisberto Vieira e Cristina Fontes Lima nas batalhas que o PAICV tem pela frente”.

Precisamos de todos, de dirigentes, militantes, simpatizantes e de todos os cabo-verdianos que querem que o país continue a ganhar. O que proponho aos cabo-verdianos e aos militantes é para sonharmos, ousarmos e inovarmos juntos, para abraçarmos Cabo Verde. Temos a vitória nas nossas mãos”.

  1. antónio dos santos

    Kau sta mau pelos lados do Paicv. A JHA já perdeu o Partido quando cedeu ao Filú: O Filú resgatou o Partido que perdeu em Dezembro. Parabens Filú pela estrategia. Experiencia vale muito. Vais ter em Abril de 2016 o teu Partido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.