Estudantes cabo-verdianos estão a ser aliciados por traficantes de droga

22/10/2015 01:05 - Modificado em 22/10/2015 01:05

passageiroPatrício Varela, Director Nacional da Polícia Judiciária, acredita que jovens estudantes cabo-verdianos no estrangeiro estão a ser aliciados para servirem de correio de droga. “É uma realidade nova. Temos notícias de grupos criminosos que operam ao nível dos países da Costa Ocidental Africana que, nos últimos tempos, têm estado a recrutar estudantes que estudam no Brasil para fazerem o trabalho de correio de droga”, afirma Varela.

Não avançou números mas diz que é uma nova realidade que está a preocupar as autoridades nacionais: “há casos de recrutamento de estudantes cabo-verdianos no estrangeiro, mas não temos dados que permitam perceber se há um aumento progressivo”. Sobre o perfil desses estudantes, afirma que “o usual era usar os jovens, principalmente os que têm dificuldades económicas e financeiras, para irem ao estrangeiro, nomeadamente o Brasil, e trazerem drogas para Cabo Verde”. O Director Nacional da Polícia Judiciária disse que é preciso que toda a sociedade esteja atenta e, em particular, os pais.

Sabe-se que no mês passado um jovem de 23 anos foi detido no Aeroporto Nelson Mandela com 900 gramas de cocaína no estômago. O jovem que serviu de “mula de carga” encontra-se preso na Cadeia de São Martinho, ilha de Santiago, aguardando pelo julgamento. No passado, houve um ou outro caso envolvendo jovens cabo-verdianos no transporte de droga do Brasil, mas sempre surgiram como casos isolados. Nos anos 80 e 90, o transporte de cocaína do Brasil para Cabo Verde e depois para a Europa foi praticado pelas rabidantes. Muitas delas foram detidas e cumpriram penas de prisão. Depois disso, tornaram-se num alvo fácil para a Polícia e os traficantes procuraram outros grupos menos suspeitos para servirem de mula. O certo é que a detenção de rabidantes na posse de cocaína vinda do Brasil passou a ser algo esporádico.

Outro grupo utilizado, é o dos cidadãos da África Ocidental que, devido ao facto do país pertencer à CEDEAO podem entrar e sair do país sem visto. Este facto também alimenta o tráfico entre os dois países. Com este alerta da PJ, tudo indica que os traficantes estão a mudar de estratégia aliciando jovens estudantes.

  1. Cidadania

    A história do tráfico de drogas do Brasil para Cabo Verde esta mal contada. Este processo intensificou sobremaneira com a abertura da rota Praia/Fortaleza/Praia, onde e inicialmente, eram pessoas muito bem colocadas na sociedade caboverdeana que geriam este negócio. Depois, e porque o vôo era sobretudo utilizado pelos rabidantes, estes rapidamente se aperceberam que gente fina em Cabo Verde estavam a faturar milhões com o tráfico, e, naturalmente decidiram também empreender pela via do crime, pois, até então as autoridades nacionais fechavam os olhos para o esquema. Como os sinais de enriquecimento ilícito começaram a ficar muito evidentes, sobretudo na capital do país, então foi ordenado aos “finos” que deveriam afastar-se para que os pequenos pudessem ser pegos, e assim mostrar a comunidade internacional que o país esta fortemente engajado no combate ao tráfico e lavagem de capitais. Minha gente, o tráfico de drogas em CV é um teatro muito bem montado, onde alguns titulares de cargos políticos e bem como os partidos recebem a sua propina, a polícia é superiormente limitada no seu trabalho de investigação, e as mulas presas para servirem de exemplo para o povo e comunidade internacional. Os verdadeiros barões, com ligações ao mais alto nível, continuam a sua vidinha de empresários de sucesso, e claro, intocáveis. A nossa real diferença com a Guiné-Bissau (Narco-Estado) é que sabemos disfarçar e bem para os mais incautos.

  2. cidadao

    bo tem razao cidadania , naquel tempo de moia que boeing tava bem fuul coca pa cidade de praia . Qu ca tinha PJ e PN ta fetcha oia. Naquel Praia era ote ate gote de maneon tava ingorda na cocaina

  3. roxana aguilera

    Hummmmm !!!!

  4. Mindelense

    Perfeito “Cidadania”, perfeito, perfeitíssimo, esse é o esquema montado em Cabo Verde, a única forma seria criar uma policia de elite, tipo o Bope do Rio de Janeiro, mas para isso teríamos que ter políticos e policiais honestos com determinação, coragem e pronto pra ir a guerra, ou seja, enfrentar estes empresários, políticos e policiais corruptos sem medir as consequências. É claro que no início teríamos uma guerra, mas com o tempo eles se sentiriam intimidados e acabariam por afastar-se ou mudar de país…

  5. Mindelense

    Ah e tem mais, a policia Federal Brasileira tem dados de pessoas (políticos e empresários) que estão metidos no tráfico aqui em Cabo Verde, através do seguimento dos correios de droga e das transferências internacionais de valores do Brasil para Cabo Verde e vice-versa…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.