Defesa quer ouvir o ex-director da PJ como testemunha

21/10/2015 07:50 - Modificado em 21/10/2015 07:50
| Comentários fechados em Defesa quer ouvir o ex-director da PJ como testemunha

advogado-direitoO advogado de defesa do arguido Alexandre Borges, solicitou a presença do ex-director da Polícia Judiciária. O advogado de defesa Felix Cardoso pretende que André Semedo testemunhe para esclarecer factos imputados ao seu constituinte.

O ex-director da Polícia Judiciária, André Semedo, anteriormente interrogado na Procuradoria no âmbito do processo baptizado de ‘Perla Negra’, vai prestar declarações na qualidade de testemunha no julgamento. O pedido foi feito pelo advogado Félix Cardoso e aceite pelo juiz, isto porque o nome do ex-director da PJ tem sido citado várias vezes no decorrer do julgamento.

Na sequência do processo que acusava o arguido Xando Badiu de crimes de tráfico de droga de alto risco de forma agravada, associação criminosa, lavagem de capital, posse e detenção de armas, André Semedo foi interrogado pelo Ministério Público no sentido de esclarecer a chamada telefónica realizada ao arguido Alexandre Borges na noite da sua prisão. No processo existe uma foto de Semedo com Xando o que pode indiciar que PJ estava também a vigiar o seu chefe no Mindelo.

Posteriormente, o caso foi arquivado por falta de provas. O MP pretendia abordar a ligação entre o ex-director da PJ do Mindelo e o arguido, em particular, uma chamada do agente da polícia no dia da operação.

Xando terá assumido a amizade e o relacionamento familiar com André Semedo, inclusivamente, que chegou a guardar pertences em sua casa enquanto a moradia do ex-director da PJ estava em obras, negando a sua implicação no processo.

Devido à relação de amizade e de relacionamento próximo, a chamada realizada no mesmo dia da apreensão e detenção de Xando, foi apenas umas das várias chamadas que o director havia realizado ao arguido.

André Semedo afirmou ainda que no mesmo dia esteve com o arguido, “na mesma noite, às 21h00, fui ter com o ora arguido Xando, porque ele me tinha dito que o filho dele, que é Capitão de Navio no estrangeiro queria comprar a minha casa na Praia e como efectivamente queria vender a minha casa…”

Apesar disso, o ex-director não chegou a ser constituído arguido e, após as diligências, o MP mandou arquivar o processo.

Após três dias de julgamento, Félix Cardoso  que defende os arguidos Carlos Ortega , Juan Bustus e Vilalonga , quer o testemunho do ex-director da PJ para tentar esclarecer determinados pontos referente aos seus constituintes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.