Centro de Recuperação Nutricional pode fechar se não tiver apoios

21/10/2015 07:38 - Modificado em 21/10/2015 07:38

nutriçãoO Centro de Recuperação Nutricional, em São Vicente, é uma instituição não-governamental que dá apoio a crianças mal nutridas e também às famílias carenciadas da ilha. O centro está a trabalhar em prol desta causa desde 1991 e conta com alguns parceiros que vêm ajudando neste dever social, porém, as dificuldades estão sempre presentes. Neste sentido, a coordenadora do centro e nutricionista, Maria Adelaide Delgado,  conhecida por  Dr.ª Laidinha,afirma que tem verbas para o funcionamento até Dezembro de 2015, mas assegura que irá continuar a angariar fundos para que o centro continue o seu trabalho que predispôs há 24 anos.

A coordenadora do centro, Dr.ª Laidinha, defende que “todos podemos ajudar e se cada um auxiliar quem mais precisa, esta é uma forma de desenvolver a nossa sociedade. Porém, não é preciso sobrecarregarmos o nosso orçamento porque cada um ajuda com o que pode e, até valores que podem ser considerados pouco por alguns, para o centro é uma mais-valia”. A nutricionista conta que existem parceiros que apoiam o centro durante o ano inteiro, inclusive com a doação de géneros alimentícios e, para além das empresas que abraçam este projecto, também há pessoas singulares que contribuem com um 1 kg de arroz, batata, etc. Isto, dentro das suas possibilidades. Todavia, há custos mensais que precisam de ser pagos para manter o funcionamento do Centro de Recuperação Nutricional e a Dr.ª Laidinha garante que continuará a lutar para manter o centro aberto e fará o seu papel de angariadora de meios para quem precisa.

O Centro de Recuperação Nutricional ajuda actualmente 90 crianças. Algumas delas moram no centro, outras ficam lá enquanto as mães vão trabalhar e há outras ainda que vão buscar as refeições. Também há 3 monitores, uma cozinheira e um servente que trabalham para que este projecto continue a melhorar as condições de saúde das crianças e a coordenadora frisa que “somos mães que ajudam mães”. Adianta ainda que a política do centro modificou-se com a quebra dos quadros de má nutrição, visto que inicialmente o centro recebia crianças dos 0 aos 6 anos que eram reencaminhadas da Pediatria do Hospital Baptista de Sousa, do Centro de Saúde Reprodutiva e do Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente. Este reencaminhamento ainda é feito, mas a coordenadora esclarece que existe uma procura por parte das famílias para evitarem a má nutrição, pelo que o centro acolhe essas famílias para que possam viver com mais qualidade, diz a Dr.ª Laidinha.

Para quem quiser ajudar pode dirigir-se ao Centro de Recuperação Nutricional nas instalações do ICCA no Mindelo ou através da conta bancária número 4889577 (BCA).

  1. António Tomé

    É preciso ajudar essa gente.
    Fiquei triste, quando na assembleia municipal, depois da denúcia feita pelo cidadão Maurino Delgado, o Presidente da Câmara municipal Dr. Augusto Neves, acabou por confessar que cortou um apoio de 16.500$00, porque a Câmara não tem recursos.
    Sr. Presidente, colocar relva ou dar de comer as nossas crianças, qual a sua opção?

    Calcetar ou dar de comer as nossas crianças, qual a sua opção?

    Alcatroar ou dar de comer as nossas crianças, qual a sua opção? etc.

    O povo de S. Vicente,deve tomar consciência sobre o abandona que este presidente ditou, a um grupo de pessoas de boa vontade, que cuidam das nossas crianças.

    Vou dar-lhe uma sugestão- deixa de por musica na rua de Lisboa,todos os sabádos, que custa e muito a Câmara e de 16.500$0 ao Centro de Recuperação para ajudar-lhes a cuidar das nossas crianças.
    Eu sinto vergonha de ter um presidente da Câmara da minha ilha que pensa de forma tão pequenina..

    É para se sentir saudades do Onésimo.Ele respeitava os mais fracos e lutava contra os fortes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.