Fórum Nacional da Juventude: Mais autonomia financeira para a Federação Nacional da Juventude

12/10/2015 08:05 - Modificado em 12/10/2015 08:36
| Comentários fechados em Fórum Nacional da Juventude: Mais autonomia financeira para a Federação Nacional da Juventude

Forum-JuventudeNo último fim-de-semana realizou-se no Mindelo, o 2º Fórum Nacional da Juventude. Oportunidade para discutir sobre questões relacionadas com o associativismo juvenil, novos rumos e a eleição do novo corpo directivo da Federação Nacional da Juventude. Helmer Fortes foi reeleito como Presidente da direcção da FNJ.

Num balanço dos dois dias de trabalho, Helmer Fortes classifica-os como “excelentes”. “Foram abordadas questões pertinentes e o facto de ter havido jovens que trouxeram a realidade de diferentes conselhos do país em relação ao associativismo, mostra que há uma dinâmica juvenil em todo o país”.

Para Helmer, o facto do país estar a presidir o Fórum da Juventude da CPLP, traz maiores responsabilidades à direcção em mostrar trabalho junto das comunidades para que seja realçada a importância dos jovens enquanto promotores nas suas comunidades.

Um dos pontos discutidos é o financiamento das organizações juvenis. E, nesse ponto, o Presidente da Federação explica que uma rubrica no Orçamento do Estado para a Federação melhoraria a actuação desta organização juvenil. “Primeiro para dizer que é a única organização na CPLP que não tem uma rubrica no Orçamento do Estado e, aí, começamos a pecar. Acreditamos que tendo uma rubrica e com financiamento próprio e uma maior autonomia, isso permitir-nos-ia estar mais capacitados e dar melhores respostas às necessidades das organizações juvenis”.

Ainda sobre a questão de financiamento, um outro alvo seria o sector privado. Para a Federação, o sector privado “está pouco sensível para as questões da juventude” e acrescenta que há uma desacreditação das associações juvenis, pelo que há de “mudar este cenário”. E a mudança deste cenário passa por “sensibilizar as empresas a financiar projectos”. Mas também pelas associações “para mostrarem mais trabalho, mais responsabilidades e mais organização para que beneficiem de orçamentos para os seus projectos”.

Metas da direcção da Federação da Juventude para o próximo mandato

Como afirma Helmer, Presidente reeleito da Federação Nacional da Juventude, as metas são muitas mas, em entrevista ao NN, menciona apenas três. A primeira é a equidade de género. “É preciso ser trabalhada nas associações juvenis, pois setenta por cento das associações juvenis são lideradas por homens”. Mas diz que também as mulheres têm que se interessar em assumir a liderança das associações juvenis, já que não se pode forçá-las a assumir.

Outro ponto é sensibilizar o Governo a dar maior autonomia financeira à Federação, nomeadamente, com uma rubrica no Orçamento do Estado. E o último ponto é a capacitação das associações juvenis e das ligas juvenis.

A lista foi eleita por unanimidade o que traz uma “grande responsabilidade”, como enaltece Helmer. Diz querer continuar a dar o máximo para que a Federação possa continuar a ser a interlocutora da sociedade cabo-verdiana.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.