MDR toma medidas, mas afirma que ainda a responsabilidade é da empreiteira

7/10/2015 10:48 - Modificado em 7/10/2015 10:48

Banca_furadaO Ministério de Desenvolvimento Rural (MDR) afirma em comunicado que já estão tomadas medidas para apuração dos factos para que possam saber a origem do problema da drenagem da barragem da Banca Furada, em São Nicolau.

 

O MDR assegura que agiu imediatamente após tomar conhecimento do problema e reuniu com as empresas Mota Engil África (empresa construtora), com a Prospectiva (Empresa Fiscalizadora) e com o LEC- Laboratório de Engenharia Civil (Sub -fiscalizadora) e constituíram uma equipa técnica que irá fazer uma observação à Barragem de Fajã e apurar a situação. Aquela deverá deslocar-se-á a ilha do Chiquinho na próxima semana “para que possa in loco fazer o levantamento da situação e elaborar um relatório técnico detalhado que possibilitará ao MDR tomar as medidas julgadas adequadas” assegura o MDR. Este ainda esclarece que a obra da barragem de Banca Furada ainda não foi entregue pela empreiteira, logo esta ainda é a responsável pela obra.

  1. Lino Públio

    Já que estamos a pedir esclarecimentos, seria do maior interesse que se publicasse todos os estudos que conduziram á tomada da decisão de construir uma barragem no valor de 700.000 contos para irrigar 35 Ha. As perguntas são : quanto custa o metro cúbico da agua ao pé da planta ? há de facto 35 ha de terrenos já aptados para o regadio ? quem irá pagar o investimento – os contribuintes ou os agricultores beneficiados. Todas estas perguntas deverão ter resposta no estudo que originou a decisão de se fazer um investimento tão elevado. Isto sabendo que há ciclos de seca em Cabo Verde e anos de fraca pluviometria como a de 2014.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.