Fórum sobre processo eleitoral para os profissionais da comunicação social

6/10/2015 07:37 - Modificado em 6/10/2015 07:37
| Comentários fechados em Fórum sobre processo eleitoral para os profissionais da comunicação social

votarA Comissão Nacional de Eleições (CNE), em reconhecimento da importância da imprensa no processo eleitoral de 2016, promoveu esta segunda-feira, o primeiro fórum sobre o processo eleitoral, na cidade da Praia, Santiago.

Como intermediário da comunicação entre os eleitores e os partidos políticos, os jornalistas foram os primeiros a receber uma acção de sensibilização. Em declarações à RCV, a Presidente da CNE, Maria do Rosário Gonçalves, disse que o fórum destinado aos profissionais da comunicação social tem como finalidade definir um quadro transparente de comunicação no processo eleitoral de 2016.

O fórum destinado aos profissionais da comunicação social aconteceu esta segunda-feira, na cidade da Praia.

“Essa plataforma é uma plataforma de melhor comunicar as decisões, as actuações, as actividades da CNE direccionadas aos eleitores”, assume Maria do Rosário Gonçalves e garante que até às eleições de 2016, a CNE tem uma agenda, “um plano de actividades que propomos concretizar. Este é o primeiro fórum com os órgãos de comunicação social, teremos outros encontros com outros intervenientes no processo eleitoral, nomeadamente os partidos políticos que consideramos também como sendo importantes na boa condução do processo eleitoral e também queremos encontros com outras instituições que fazem a gestão do processo eleitoral, ao longo de todo o processo”, concretiza.

“A CNE reconhece a importância da imprensa livre na condução do processo eleitoral, ou seja, a imprensa terá um papel importante na medida em que terá de ter um posicionamento claro independente e equidistante relativamente aos demais intervenientes, tanto dos órgãos de gestão eleitoral como também dos candidatos e partidos políticos”. E como agentes de intermediação, devem estar preparados, sobretudo, para esclarecer o cidadão eleitor como forma de poder agir conscientemente.

Até às primeiras eleições de 2016, a Presidente da CNE informa que terão diversas actividades, nomeadamente, de sensibilização e informação do eleitor. Portanto, toda a comunicação estará direccionada para o cidadão eleitor. “É criar condições para que possam votar”.

E promete informar devidamente os eleitores durante toda a execução do plano de actividades, até à primeira eleição de 2016.

Ainda na abertura do fórum subordinado ao tema “O processo eleitoral e o papel da comunicação social e jornalistas”, a presidente da Associação Sindical dos Jornalistas (AJOC), Carla Lima, citada pela Inforpress, questionou quem vai regular os órgãos da comunicação social e os jornalistas durante o período das eleições, previsto para decorrer em três momentos, em 2016. Já que, “anteriormente, a CNE foi quem assumiu o papel de reguladora da comunicação social durante os processos eleitorais. Há, neste momento, um dado novo que é preciso ter em conta e que é preciso trabalhar e que se chama Agência de Regulação da Comunicação Social (ARC)”, disse.
Para a Presidente da AJOC, pela sua natureza e pelas suas funções, a ARC estará “melhor preparada” para avaliar conteúdos e para decidir conflitos relacionados com questões ligadas à cobertura eleitoral, até então avaliadas pela CNE, sendo necessário um trabalho prévio de concertação para que os jornalistas saibam “com quem estará a regulação” e “quem vai regular o quê”.

O primeiro fórum sobre o processo eleitoral e o papel da comunicação social tem a duração de dois dias e visa discutir e analisar a cobertura do processo eleitoral, de modo a obter um padrão uniformizado entre todos os órgãos, conforme adiantou aos jornalistas a Presidente da CNE, Maria do Rosário Pereira.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.