EBI: Mudança do horário das 13h30 para as 13 horas não é obrigatória

1/10/2015 07:35 - Modificado em 1/10/2015 07:35

escola jovino santosAs escolas de São Vicente receberam as habituais orientações do Ministério da Educação e Desporto para o ano lectivo de 2015/2016. Entre elas, está uma proposta de modelo de horário para o 2º ciclo do Ensino Básico, ou seja, para turmas do 5 e 6º anos cuja carga horária é de 4h45m. Nesta proposta, encontra-se a alteração da hora de entrada das 13h30 para as 13 horas. No entanto, os encarregados de educação da escola António Aurélio Gonçalves manifestaram o próprio desagrado e conseguiram que fosse reposto o horário antigo, pelo que ontem os alunos já entraram às 13h30.

O novo horário gerou dissabores a alguns pais e estes reuniram-se com o Delegado do MED para reivindicarem o que resultou na reposição do horário do ano lectivo anterior. Porém, há quem questione se a medida é nacional e, nesse caso, porque é que a escola António Aurélio Gonçalves não a respeita. Uma comentarista que  assina  como Mãe  diz que “os pais que manifestaram  descontentamento são um grupinho que veio da Escola da Praça Nova que sempre teve peso nas decisões da Delegação Escolar aqui em São Vicente. Já voltaram ao horário antigo, mas atenção: essa mudança é exclusiva para os meninos daquela escola. Só gozo mesmo, e os alunos das outras escolas não contam não é Sr. Delegado? Entretanto, pergunta se a medida é nacional e se a entrada em todas as escolas do EB de Cabo Verde vai ser uniformizada para as 13 horas então, porque é que se mudou o horário? Só para satisfazer um grupinho de pais de élite?”.

As orientações enviadas pelo ME para o presente ano lectivo não torna obrigatória a mudança  do horário . E uma proposta que devia ser apresentada a comunidade educativa de cada escola para validação ou não . Mas, em São Vicente não houve discussão em nenhuma escola  e a proposta foi implementada como se tratasse de uma medida que deveria ,pura e simplesmente ser cumprida.  E os pais da Escola Aurélio Gonçalves ao reclamarem e mostrarem a sua discordância com a mudança  do horário  exerceram um direito que lhes assiste. E assim o Delegado não teve outra saída senão fazer marcha  traz numa proposta que apresentou como uma medida a nível nacional .

Assim tudo indica que  a comunicação entre os encarregados de educação, escola, Delegado em SV e MDE não funcionou, uma vez que a mudança do horário não é obrigatória, mas sim uma proposta feita pelo MED incluída nas orientações deste ano lectivo. Ou seja, trata-se de uma proposta de modelo de horário para o 2º ciclo do Ensino Básico e a proposta sim é para todas a escolas de Cabo Verde e não uma medida nacional imposta pelo Ministério da Educação e Desporto.

  1. Afinal! em que ficamos? O horário não é nacional? Agora pergunto porquê só Escola Aurélio Gonçalves tem o horário das 13:30, enquanto as demais escolas em toda a Ilha têm o horário das 13H. Quer dizer, horário para uns e horário para outros ou será que todos esses alunos não pertencem ao Ministério da Educação.

  2. Américo BritoTavares

    Por favor, esclareçam o horário diário para o 2º ciclo. Porque na escolanº1, Polo nºII de Assomada o harario é de 4h55m, isso porque, das 13 ás 17h55m.
    A segunda questão que precisa de esclarecimento, vem na sequência da primeira, levando o professor do 2º ciclo a trabalhar por semana 22h e 35m, quando a lei diz que a garga horária de qualquer professor é de 22 horas – tempos lectivos. Os dirigentes estão mudos e surdos, em relação a isso.
    Ahgradecia de a NN procurasse esclarecer a opinião pública. Mto obrigado.

  3. Américo BritoTavares

    Para quando a colocação dos manuais no mercado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.