FICASE é acusada de fazer marketing político, mas o seu Presidente refuta as acusações

30/09/2015 08:42 - Modificado em 30/09/2015 08:42

FicaseA Fundação Cabo-verdiana de Acção Social Escolar (FICASE) realiza a sua XIª edição da entrega dos kits escolares, porém, tudo o que é feito no ano pré-eleitoral cheira a campanha e a instituição é acusada de fazer propaganda política.

O Presidente da FICASE, Felisberto Vieira, questionado se há ou não propaganda política no acto da entrega dos kits, garante que há contradição, uma vez que “os que criticam reconheceram que foram beneficiários da FICASE, então porque é que o outro não pode reconhecer o trabalho da instituição?” questiona o Presidente à RCV. O mesmo afirma que a entrega tem de ter a sua visibilidade e esclarece ainda que o orçamento dessa campanha nacional é de 30 mil contos, sendo 50% do orçamento financiado pelos parceiros e empresas privadas. Desta forma, Felisberto Viera considera normal que os patrocinadores sejam convidados para que as crianças que são as beneficiárias possam agradecer publicamente.

No ano que antecede as eleições tudo o que é feito pelas figuras políticas é considerado campanha eleitoral, porém, as pessoas esquecem-se que não é a primeira vez que a FICASE faz a entrega dos kits e Lúcia acrescenta que “é caso para se dizer que todos os anos há propaganda política”. No entanto, há quem considere que a presença do 1º Ministro na entrega é apenas marketing e em comentário diz que “quem dá aos pobres empresta a Deus. O que a mão esquerda dá, a mão direita não deve saber” e também há apelo para que não haja aproveitamento das crianças pobres. Nas redes sociais até os jornalistas são solicitados para resolverem o caso da propaganda política da entrega dos kits escolares e um internauta escreve “vamos alinhar numa campanha para sensibilizar os jornalistas para se recusarem a fazer cobertura de eventos de distribuição de materiais e donativos a pobres e vulneráveis? Essa vergonha de políticos, fundações políticas a entregar kits escolares, cimento, verguinhas, etc.”

  1. MceeTip

    De boas intenções a porta do inferno esta cheia, os parceiros poderiam congratular-se com a entrega numa cerimonia a porta “fechada” e as criancinhas ficavam felizes e servidas na mesma. A politica de justificar onde vai parar as verbas então teria de ser aplicada em outras ocasiões. Srs tenham vergonha na cara e não nos tratem como iguinorantes.

  2. Nelson Cardoso

    Estranho esta notícia. Porque só agora isto incomoda? O que fazem as Câmaras Municipais? Mais concretamente, quando se dá uma habitação, kits escolares, etc. os poderes não aparecem?
    Sejamos sérios e coerentes.
    A FICASE tem essa função de apoiar e a população deve saber que anda a apoiar. Há coisas piores nesta terra e que merecem a nossa preocupação.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.