Lombo Tanque: Prédio abandonado preocupa moradores

28/09/2015 08:13 - Modificado em 28/09/2015 08:13

20150927_112934Moradores reclamam de um prédio abandonado em Lombo Tanque. O imóvel abandonado há mais de quatro anos serve de esconderijo para assaltantes e pessoas que vão lá deixar todo o tipo de lixo.

A situação do prédio tem vindo a preocupar os moradores que dizem não encontrar outra solução a não ser denunciarem a realidade na comunicação social, na esperança de sanarem o problema que se tornou num sério problema de segurança e de saúde pública.

Os moradores clamam por uma solução para o problema, pois o prédio tornou-se num esconderijo para os assaltantes. Na falta de contentores, o prédio serve ainda de depósito de todo e qualquer tipo de lixo.

Os mesmos reclamam do mau cheiro e da quantidade de mosquitos, uma situação que tem vindo a preocupar os residentes. Samira, uma das moradoras diz que a situação deve ser resolvida com urgência, pois tornou-se insustentável. “Não podemos estar com as janelas abertas porque o mau cheiro é insuportável e, devido à quantidade de lixo ali depositado, tornou-se num foco de proliferação de mosquitos”.

Conceição conta indignada que a sua residência foi várias vezes assaltada por pessoas que se aproveitaram da situação para alcançarem a sua casa. Para além disso, as pessoas que não têm esgoto em casa aproveitam e lançam as próprias necessidades fisiológicas e todo o tipo de lixo, o que faz com que seja difícil passar perto da moradia.

Os moradores ainda se queixam da falta de segurança. A insegurança instalou-se na zona há mais de quatro anos quando o imóvel foi abandonado. Os assaltantes aproveitam-se do local para se esconderem e fazerem uso de drogas. Para além de toda a sujeira, o espaço também é utilizado como bordel e moradia para doentes mentais.

Os entrevistados temem sobretudo pelos riscos para a saúde, por isso, apelam pela intervenção das autoridades sanitárias.

A situação de abandono de imóveis tornou-se num problema frequente na ilha de São Vicente. Apesar dos diferentes alertas feitos por este online, o problema continua a ser um dos mais comuns no meio mindelense, uma situação que tem causado incómodo e mau estar entre os moradores.

  1. Carlos Fortes

    Este problema nao vai desaparecer tao depressa por agora. Pelo contrario vai aumentar pois o número de casas inacabadas e que nao vao ser acabadas é enorme. E com a crise nao só em Cabo Verde mas tambem no seio da emigração esses prédios inacabados passarão a ser depósitos de toda a espécie de lixo.
    Muitos dos seus donos nao podem cumprir as suas obrigações perante os Bancos e os Bancos mesmo penhorando os mesmos nao têm a possibilidade nem tao pouco será rentável acaba-las.
    Doutro lado muitas pessoas gostam do lixo e das moscas e porque motivo elimina-las?
    Nao existe uma consciência de responsabilidade pela saúde publica e a mentalidade é se se adoecer temos a INPS que cobre as despesas ou outra instituição estatal.
    E a mentalidade nao vai mudar. A promiscuidade vai pelo contrario aumentar. Outros tempos, outros comportamentos e mentalidades e a nao existência dum comprometimento da sociedade com a saúde publica.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.