Alto Bomba e Monte Sossego: Moradores satisfeitos com as obras de calcetamento e drenagem

28/09/2015 07:54 - Modificado em 28/09/2015 07:54

asfaltoMuitos dos problemas enfrentados pelos residentes nas zonas de Monte Sossego, Cova e Alto Bomba foram ultrapassados com as obras de calcetamento, drenagem e construção de estradas de acesso realizadas pela Câmara Municipal de São Vicente.

Os problemas de drenagem, falta de estradas e de calcetamento são problemas antigos e ultrapassados. Embora, ainda hajam muitos problemas a serem resolvidos, os moradores das zonas de Monte Sossego, Cova e Alto Bomba dizem estarem satisfeitos com as obras realizadas pela Câmara Municipal de São Vicente.

Os moradores reclamavam do acesso às estradas, calcetamento, falta de água canalizada e esgoto. Celisa, uma moradora de Alto Bomba, avança que devido à falta de estradas os carros não conseguiam alcançar as residências localizadas nos locais mais altos e, em caso de acidente ou de doença, os moradores não tinham outra opção senão desenrascarem-se.

Para António Martins, as obras de drenagem foram bem feitas. “A chuva veio testar a capacidade e a importância das obras de drenagem e calcetamento na zona”. Todos os anos os moradores sofriam as consequências das chuvas mas, neste momento, os problemas estão ultrapassados.

Eduardo Simão considera que as obras realizadas trouxeram maior conforto e maior qualidade de vida aos moradores e, para além disso, gerou emprego para muitas pessoas. Sobretudo, as obras de calcetamento e construção de estradas há muito tempo esperadas.

A Câmara Municipal tem vindo a realizar um conjunto de obras de requalificação, calcetamento, drenagem, asfaltagem, construção de estradas, arruamentos em diferentes zonas do Mindelo, obras que parecem ter sido aceites de forma satisfatória por parte dos mindelendes.

Entre várias outras obras, a CMSV realizou algumas de pavimentação em asfalto da rua Senegal (rua da Igreja Nazarena) até à Escola Secundária Jorge Barbosa. A asfaltagem da Avenida de Fonte Francês – Ribeira de Craquinha, obras que, segundo o Executivo Camarário, enquadram-se na requalificação da cidade e miram melhorar a qualidade de vida das pessoas.

A drenagem das águas fluviais foi o projecto mais caro destas obras.  Fez-se a reabilitação das ruas de Lisboa e 5 de Julho, das circulares nas zonas de Chã de Alecrim, Fonte Inês, Cruz, Rotunda de Ribeira Bote. Aplicaram-se calçadas artísticas na rua São João, Rua da Luz, Rua da Moeda, Rua Moçambique e Rua Santo António.

  1. Enquanto isso, a zona da Ribeirinha mais concretamente lombo de cruzinha não tem nada, sem esgôto e sem água, falta de acesso, falta de iluminação pública esta zona conforme disse os moradores é esquecida pelas autoridades Municipais e prometem não votar em 2016 porque nem foi contemplado no Projecto de água e saneameto do Millenium Chalenge.

  2. Lena

    Quanto a Zona de Chã Alecrim deve-se discriminar em que zonas dessa localidade foram beneficiadas com obras de calcetamento, porque na zona de Canalona, mais propriamente bairro alto, em cima do ex lar de idosos, ficou quase tudo como estava, ruas sem calcetamento, os moradores inspirando pó 24 horas por dia, a não ser 1/3 da estrada que foi calcetada, da rua principal. A Câmara escavou apenas algumas ruelas dessa zona e, deixou-as ao Deus de Ará há . alegando na altura, de que estavam falta ,atá a data de hoje.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.