Manú…simplesmente Manú Rasta

21/09/2015 07:28 - Modificado em 21/09/2015 07:28
| Comentários fechados em Manú…simplesmente Manú Rasta

manu rastaManú Cabral é um dos nomes inconformáveis do meio artístico cabo-verdiano, nomeadamente de São Vicente. Nascido e criado na zona da Ribeira Bote, “Manú Rasta”, como também é conhecido, é considerado uma das grandes personalidades artísticas da “Zona Libertada”.

Manú Cabral conta que começou a pintar desde de criança, com carvão, sendo a imagem de Jesus Cristo, a escolhida  para os seus desenhos. E com os seus 6/7 anos começou a ter contacto com o lápis preto na escola e fazia todo tipo de desenhos, sendo requisitado pelos colegas para que fizesse os seus trabalhos.
Depois seguiu pelo teatro, onde teve a responsabilidade de ficar encarregue dos cenários, e depois começou a trabalhar no carnaval  com o grupo Estrelas-do-mar ,onde as pessoas ficaram cada vez mais a conhecer o seu trabalho e começou a trabalhar nalgumas empresas fazendo trabalhos publicitários, juntamente com as suas esculturas e os seus quadros e também no carnaval.

E como explica Cabral “o carnaval é um mundo fascinante onde tens a possibilidade de pôr em prática as tuas  capacidades e de apreender com outras pessoas” Manú diz que o seu  trabalho é inspirado basicamente no ser humano, no mundo animal e vegetal. Tudo o que diz respeito ao universo e a criação divina me fascina. São muitos os trabalhos que não consigo identifica-los. Mas um dos trabalhos que mais gostei de fazer foi a remodelação de uma praça em São Nicolau, onde foi feito uma fonte no meio com uma Garça, em homenagem ao emigrante e a igreja onde reconstitui o altar de Nossa Senhora do Rosário, com os meus colaboradores.

E em Ribeira Bote estão patentes duas obras do artista plástico, que é a estátua do busto do padre Felipe feito em bronze, sendo a primeira do material feito em Cabo Verde. E a outra obra é a escultura dos pescadores feita em finais de 90 e início de 2000.

“Os pescadores” é uma homenagem as gentes da zona que antigamente na sua maioria eram pescadores, sendo que no início o projecto era para ser um bote e remos, mas por falta de espaço ficou a escultura dos pescadores.
Em relação a zona, Manu Cabral considera que está  não evoluiu muito. “A população de Ribeira Bote sempre deu um grande contributo para o desenvolvimento de Cabo Verde, mas infelizmente ainda falta muita coisa para fazer na zona”.

“Ribeira Bote sempre foi uma boa zona, tranquila, com pessoas solidárias e acredito que está a melhorar” e sendo sempre lugar de gente de diversas áreas . Cabral afirma que é por este motivo que a zona sempre foi conotada de zona “revoltado”, mas esclarece que sempre foi uma zona sempre abriu as suas portas para o mundo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.