Nervoso “miudinho” depois da aprovação do estatuto do pessoal docente

16/09/2015 07:14 - Modificado em 16/09/2015 07:14

AprovadoExiste como que um “nervoso miudinho” à volta da recente aprovação do estatuto do pessoal docente por parte de alguns dos professores que olham para a aprovação com alguma desconfiança. “Temos de fazer finca-pé com este Conselho de Ministros… pois em 2010 assinaram um acordo para um reajuste salarial não inferior a 10%, não o publicaram no B.O. e a classe saiu a perder.

Agora, em pré-época eleitoral, temos de ficar com “olho vivo na melon” pois estes gajos não são de confiança” – escreve Firmino Lima num comentário no NN. Da parte dos sindicatos nem as cautelas e os caldos de galinha, que não fazem mal a ninguém, parecem diminuir a ansiedade para se sentarem à mesa com a Ministra da Educação. E o adiamento da reunião que deveria realizar-se ontem com o Ministério da Educação e Desporto veio aumentar o nervosismo. O Presidente do Sindicato Nacional dos Professores (Sindep), Nicolau Furtado disse à Inforpress que “Comunicaram-nos que o encontro técnico desta terça-feira foi cancelado, justificando com o facto da aprovação do estatuto e não apontaram nenhuma data para uma próxima reunião”.

Mas o certo é que a aprovação do estatuto não veio acabar com o clima de desconfiança que reina entre os sindicatos que representam os professores e a Ministra da Educação. Por isso, Nicolau Furtado defende que “a aprovação do estatuto da carreira docente não é suficiente e não é uma garantia. Estamos à espera da homologação do documento por parte do Presidente da República Jorge Carlos Fonseca, e a sua publicação no Boletim Oficial”. Assegura que até à publicação, “estamos a pressionar o Governo, mas se até ao fim de Setembro não se efectivar a publicação, avançamos para a luta”.

  1. Esse cachupa tem tucim.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.