Lazareto: Obra da Praça paralisada há mais de 6 anos

9/09/2015 08:25 - Modificado em 9/09/2015 08:25

praça lazareto 3Moradores da zona do Lazareto reclamam da paralisação da obra da Praça há mais de seis anos. Não havendo obras, os moradores têm vindo a utilizar o espaço para a plantação de milho.

A construção da praça do Lazareto iniciou em 2009. Apenas a base foi erguida e, desde essa data, o trabalho está paralisado servindo de terreno para sementeira. Os moradores desta localidade apelam para a conclusão da obra iniciada pela Câmara Municipal de São Vicente.

Há vários anos que os moradores vivem reclamando da paralisação da obra. Nelson diz que para além de muitos problemas da zona, a construção da praça do Lazareto é uma das mais faladas e reivindicadas pela população.

Fátima diz que a praça é uma grande necessidade e deixa muita falta, pois no período do Verão as pessoas poderiam aproveitar dela para momentos de convívio. A mesma acredita que com a construção da praça a zona teria melhor imagem.

Os moradores dizem não fazer sentido iniciar uma obra e deixá-la a metade durante vários anos. “A situação em que se encontra a praça não traz benefício à zona”. Não havendo outras opções, as pessoas têm aproveitado do espaço vazio para fazerem plantação de milho. Os entrevistados dizem terem-se deslocado várias vezes à CMSV para exporem os seus problemas mas até agora nunca foram acudidos.

Os entrevistados também reclamam da falta de electricidade.

Numa entrevista à TCV, o Presidente da Câmara Municipal, Augusto Neves, reconheceu a demora na conclusão da obra e justifica a situação com a falta de verbas. “Tínhamos um montante para a construção da praça mas este não foi suficiente para terminar a obra”. Contudo, o edil mindelenses afirma que o orçamento deste ano contempla verbas para a conclusão da obra que deverá estar pronta até ao final do ano.

  1. Figueiral

    [Não havendo obras, os moradores têm vindo a utilizar o espaço para a plantação de milho.]

    Os moradores de Lazareto estão mais preocupados com uma praçinha inacabada que felizmente tem tido sido eficazmente utilizada isto é no cultivo de um alimento básico que é o milho.
    Os moradores de Lazareto deveriam utilizar e canalizar toda essa energia e esse tempo livre na limpeza deste bairro, evitando lixos e porcarias por todos os lados e especialmente na dizimação e eliminação dos cães que proliferam doenças por todos os lados. Aliás um grande número de moradores não tem possibilidades financeiras para sobreviver quanto mais ainda permitir o luxo de ter cães. Sejamos menos egoístas e mais amigos dos animais que devem ser bem tratados. Vamos preocupar mais como saber lidar com lixo, como evitar tantas moscas, mosquitos, baratas, etc,etc, para que Lazareto não se torne uma pocilga é uma latrina pública como infelizmente vem acontecendo com muitos bairros em S.Vicente com todas as consequências negativas para a saúde pública.
    A Câmara não pode fazer tudo. Um apelo a todos esses jovens e homens inactivos e cheios de energia. “Nô junta môn ” e vamos pedir material não só na Câmara mas também aos moradores financeiramente com mais possibilidades e com a nossa mão de obra e consciência de cidadania façamos algo de positivo para Lazareto abandonando esta mentalidade passiva e parasita de depender sempre do Estado. Aliás o Estado “somos nós”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.