Bombeiros de São Vicente não estão preparados para situações de catástrofe

4/09/2015 08:23 - Modificado em 4/09/2015 08:23

Bombeiro-SVNo caso de situações catastróficas, os Bombeiros de São Vicente não dispõem de equipamentos necessários para acudirem a população. As condições são fracas ou nulas, diz Albertino Lima, Comandante adjunto dos Bombeiros na ilha do Monte Cara que considera não estarem preparados para resolver situações de catástrofe.

Graças a Deus que a ilha de São Vicente não se tem deparado com situações que requerem intervenções com grandes meios e equipamentos, porque a ilha não dispõe de condições para resolver problemas de maior dimensão.

Segundo Albertino Lima, Comandante adjunto dos Bombeiros de São Vicente, a maioria das viaturas encontra-se avariada sem quaisquer condições operacionais. Existem viaturas que há mais de um ano que não operam por estarem avariadas”. No caso de ocorrências muito graves os Bombeiros não conseguem dar a cobertura necessária. ”Os materiais de intervenção são quase que inexistentes”.

Para responder a toda a ilha no caso de incêndio, os Bombeiros têm disponíveis apenas duas viaturas, uma pequena com fraca capacidade para receber água e uma outra de maior dimensão que dispõe de manutenção constante.

Uma situação que demonstra a incapacidade de resposta foi o incêndio ocorrido no passado sábado numa residência de lata na zona de Lombo Tanque. De acordo com populares, foi enviada ao local a viatura com menor capacidade de água e como esta não conseguiu extinguir o fogo, foi necessária a intervenção de uma outra viatura.

Dada a situação, Arlindo considera que não estão preparados para responder a grandes incêndios. Segundo o Comandante, a situação é do conhecimento dos responsáveis e é precisa intervenção urgente para responder às necessidades, sobretudo, em caso de registo de ocorrências que exigem intervenção de maiores meios.

  1. Mindelense

    Assim é que deve ser a postura de um responsável institucional. Falar abertamente da situação, mostrar a capacidade real, e exigir de quem de direito uma intervenção no sentido mitigar os constrangimentos. Todos nós sabemos que o país é pobre, e os recursos não abundam. Mas uma boa gestão da coisa pública pode ajudar a resolver muita coisa, ou pelo menos, que não estrague aquilo que já temos. Mas enquanto as instituições dependerem da vontade político-administrativo de A ou B, que se acha mais burro que todos os burros, continuaremos a viver este tipo de limitações.

  2. Fernando Fortes

    O tal do Mindelense,não conhece muito destas pessoas que fazem parte do corpo de bombeiros de S.Vicente.
    Uma boa parte não tem capacidade moral,intelectual,nem fisica para fazer parte desse corpo.
    Uma boa parte,deveria já ter ido para a reforma e dar lugar a um corpo de voluntários digno.
    Os bombeiros vivem um estado de abandono.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.