Uma viagem a cultura através dos discos de vinis

31/08/2015 03:00 - Modificado em 31/08/2015 03:00
| Comentários fechados em Uma viagem a cultura através dos discos de vinis

Até o dia 25 de Outubro estará patente no centro Nacional de Artesanato e Design, no Mindelo, a exposição Cabo Verde no Vinil – da Música ao Design. O que se pretende que seja um “espaço de partilha e de memória comum, que convida o visitante a perder-se nas reminiscências de um povo que tece a sua história e cultura, servindo-se do mundo como matriz”.

Os princípios que orientam a exposição são a estética e a cronologia. Existe discos de 1952 a 1993, privilegiando a criatividade plástica, “quer através do desenho e pintura, quer pela fotomontagem ou do retracto fotográfico”. Além de capas de discos podem ai ter um vislumbre sobre tocadores de discos antigos, sendo eles que fornecem o som ambiente da exposição.

De acordo com o director do CNAD, Irlando Ferreira, só foi possível montar a exposição porque muitas pessoas envolveram no projecto como a Casa do Coleccionador, Eder de Oliveira Rocha, e Radio Nacional, que deram suporte para “que as coisas pudessem acontecer” e também contou com uma equipa de curadores variados como Francisco Sequeira, encarregado da sonoteca da RCV em Mindelo; Fonseca Soares, jornalista e delegado da RTC; Moacir Rodrigues, professor e investigador; Kiki Lima, artista plástico e músico e DJ Letra.

Mas a expectativa da exposição foi alcançado logo na sua abertura, está sexta-feira. “Minha expectativa já está claro com sala cheia, pessoas compartilha memórias e momentos, e estamos felizes por termos tido a oportunidade de colocar de pé este projecto”.

Irlando classifica a exposição como “uma viagem no tempo a nossa história, a nossa cultura, e a música”. E acrescenta que todo o projecto é apenas um repto já que existe ainda um campo a ser explorado através das conversas que vão surgindo a volta da exposição e “que nem nos podemos ter a noção do impacto que está exposição poderá ter nesta cidade”.

Em entrevista a RCV, Moacir Rodrigues, um dos curadores afirma que é uma recordação bastante vasta e com o tempo “vão apercebendo da riqueza desta exposição. É e que era necessária e ainda bem que este grupo pensou nela”.

Disco Vinil

DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA
DCIM100MEDIA

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.