Alcides Graça: “se for obrigado a escolher entre a candidatura à presidência da CMSV e integrar a lista de deputados, opto pelo último”

28/08/2015 08:03 - Modificado em 28/08/2015 08:03

alcides_graca6Este online teve acesso a uma carta ,datada de 24 de Agosto, enviada por Alcides Graça aos membros da Comissão Política Nacional do PAICV onde esclarece a sua posição em relação ao seu projecto autárquico e à integração nas listas para as eleições legislativas.

Na missiva, o Presidente da CPR deixa claro que “disse à Presidente do Partido e ao 1º Vice-Presidente que sendo obrigado a optar entre uma candidatura à Câmara Municipal de São Vicente e à integração da lista de candidatos às eleições legislativas, não hesitarei um segundo em escolher a candidatura às eleições legislativas”. Graça esclarece que não é verdade que “o Presidente da Comissão Política Regional quer integrar a lista de candidatos às eleições legislativas e, ao mesmo tempo, ser candidato à Câmara Municipal de São Vicente, não obstante uma deliberação da CPR nesse sentido que obteve 8 votos a favor, 1 contra e 1 abstenção”. E mais adiante, esclarece que “só admitiria uma hipotética candidatura minha à Câmara Municipal de São Vicente no quadro da implementação de uma estratégia política clara, assumida por toda a estrutura dirigente do Partido que passaria por criar condições mais favoráveis para se disputar a Câmara Municipal de São Vicente.

Não havendo a disponibilidade da Direcção Nacional do Partido para excepcionar o caso de São Vicente, mesmo levando em conta a desvantagem de qualquer candidato do PAICV em relação ao candidato da UCID (Presidente de um Partido Político bem enraizado na ilha) e candidato do MPD (Presidente em exercício da CMSV que nunca deixou de fazer campanha) então, neste caso, a minha preferência seria integrar a lista dos candidatos às eleições legislativas e deixar cair o projecto autárquicas”. Graça termina a missiva com um ponto final: “Espero ter sido claro em relação à minha preferência, no caso de ser obrigado a optar. Ninguém tem o direito de tomar decisões sobre a vida de uma pessoa contra a sua vontade, ainda que seja em nome do Partido”.

Como é obvio, nestas circunstâncias, não conseguimos a reacção de nenhum conselheiro da CP do PAICV sobre esta matéria, mas apurámos que Graça enviou a carta aberta aos conselheiros porque a sua vontade de participar na próxima reunião da CPN, “onde se vão discutir e aprovar as propostas de alinhamento dos candidatos às próximas eleições legislativas manifestada à camarada Presidente do PAICV com conhecimento aos Vice-Presidentes, através de uma missiva datada de 23.08.2015, não mereceu qualquer reacção da Presidente”. Nessa, o Presidente da CPR de São Vicente explica no detalhe todo o processo da escolha dos nomes para a lista de deputados do PAICV.

  1. antónio dos santos

    Alcides Graça foi, na sua condição de Lider do Partido local, traído. E, porque a sua lista foi literalmente deitado ao lixo tendo apenas salvo o nome da Filomena Martins, toda a estrutura política eleita democraticàmente, foi ela também produto do lixo. O responsavel do Partido na zona Sul ficou mas num lugar não elegivel. O Hermes deve voltar ao seu lugar de professor. Definitivamente, com todos esses episódios, a JHA não conseguiu unir o Partido o que terá graves consequências nas eleições.

  2. Autarca e Deputado

    É muito mais fácil se eleger como Deputado nacional do que como autarca, desde que o Alcides fique nos 5 primeiros lugares da lista do PAICV. Depois, o Deputado, para além de ter mais benesses e rendimentos do que um autarca, trabalha muito menos, e em caso de mau desempenho, nunca é pessoal, mas sim do partido. Já na autarquia, o desempenho é imputado directamente a cabeça do Presidente e não do Partido. A única vantagem de um autarca em relação à um deputado, é que querendo, consegue ser muito mais corrupto do que um Deputado.

  3. Fernando Fortes

    Depois o Inocêncio ter contribuído para que Jorge Carlos Fonseca chegasse a Presidente da república,agora ele vai querer contribuir para a derrota eleitoral nas legislativas vizinhas.
    É pena.O homem consegui por a ilha de S. Vicente contra ele e agora vai ser contra o PAICV.
    Duvidam?Então esperam para ver.
    Ao tal do José Back, ele que tenha calma.Não está na sua Assomada.
    Golpes anti-democráticos, aqui não vão funcionar.
    A sociedade civil mindelense vai estar atento ao desenrolar desta novela.

  4. roxana

    Estas inconformidades de la vida partidaria se solucionan con candidatos elejidos ,nao nomeado !! Pero nao essa forma para elegir a inocencio onde piden alzar o braço q quem nao este de acordo colocando a pessoa constrenjida ,, bom neste caso e’ ao reves constrenjido sera a pessoa q o apoie !!! 🙂 🙂
    LOL

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.