Análise: JHA e a síndrome do “quem tudo quer, tudo pode perder” em São Vicente

27/08/2015 08:31 - Modificado em 27/08/2015 08:31

Neves-e-JaniraSe é certo que Ulisses Correia e Silva não sabe como resolver o problema do sapato apertado que tem em São Vicente, também é certo que Janira Hopffer Almada ainda não encontrou a forma de resolver o problema criado pela CPR liderada por Alcides Graça em relação à formação da lista para as legislativas. E aqui não se trata de um sapato apertado, mas sim do velho ditado “quem tudo quer, tudo perde”.

É sabido que a CPR enviou à Comissão Política a composição da lista para as legislativas onde o líder regional surge em terceiro lugar a seguir a Manuel Inocêncio e Filomena Martins e o secretário-geral do PAICV, João do Carmo, nem sequer aparece em lugares elegíveis. Mas, este até nem é o problema mais difícil de resolver, pois na falta de consenso “manda quem pode e obedece quem deve e quem não ficar contente chupa limão”.

O problema maior surge quando se liga a constituição da lista para as legislativas aos candidatos para a presidência da CMSV em 2016. E aqui surge a síndrome “quem tudo quer, tudo perde”. É que Alcides Graça quer estar na lista para deputado num lugar elegível e quer ser também o candidato do PAICV para a presidência da CMSV em 2016. Graça defendeu esta ideia numa reunião da CPR onde terá dito que “estar na lista para as legislativas e participar na campanha eleitoral iria dar-lhe visibilidade e ferramentas para aumentar as possibilidades de vitória nas autárquicas”. Alguns dos seus pares e amigos na CPR consideram legítima essa estratégia, mas esquecem-se que é nessa parte do filme que o “sport” cai do cavalo ou que entra a banda sonora “quem tudo quer, tudo perde”. E existe “jurisprudência” nessa matéria no PAICV. Bastaria perguntar ao actual secretário-geral do PAICV, João do Carmo se não foi nessa parte do filme que em 2010 caiu do cavalo e perdeu tudo quando exigiu ao então Presidente do PAICV, José Maria Neves, a assinatura de uma espécie de contrato que assegurava que a sua desistência de participar na lista de deputados por São Vicente lhe garantiria o lugar de candidato do PAICV à presidência da CMSV em 2011. O resto é história: JMN não assinou nenhum contrato e mandou o João “ba trá pulo na cinza”. Isto porque o PAICV manteve o princípio que os militantes têm de optar entre os seus projectos para legislativas e os para as autárquicas e não correrem com dois cavalos em simultâneo. E parece que Alcides Graça não aprendeu com a “desgraça do camarada João” e está na curva onde o “sport “costuma cair de um cavalo que se chama “quem tudo quer, tudo perde”. Mas. Há sempre um mas. O certo é que Graça, apesar das críticas internas, tem feito um trabalho no PAICV que é reconhecido a nível da sociedade mindelense.

Em primeiro lugar, é o rosto da oposição ao casamento MpD / UCID na CMSV e o único que enfrenta Augusto Neves. O seu desempenho é reflectido nas sondagens onde no universo do PAICV local só fica atrás de Manuel Inocêncio e da sua mentora Filomena Martins. No confronto com Monteiro e Augusto Neves perde, mas tem vindo a crescer nas sondagens. Já atinge os 20 % sem que fosse declarado o candidato do seu partido e sem a máquina tambarina a fazer a sua imagem. Será suficiente para ser eleito presidente da CMSV em 2016? Mas cabe a Graça tomar essa decisão: um lugar elegível na lista do seu partido para as legislativas de 2016 e fazer carreira politica como deputado ou como diz o povo: mais vale um pássaro na mão que dois a voar. Ou pode aceitar o desafio que se tinha proposto, de um dia ser o Presidente da CMSV. Pode ser que esse dia não seja em 2016, mas pode ser em 2020 ou não. Mas a decisão cabe a Alcides, enquanto  puder decidir. Mas se deixar a presidente do Partido decidir num braço de ferro com ele, pode-se repetir a estória de João do Carmo: quem tudo quer, tudo perde.

Eduino Santos

  1. Mindelense

    O PAICV continua a cometer o mesmo erro de sempre. Apostar em figuras que não residem em Mindelo. Como é sabido, os partidos só conseguem se eleger com a preciosa ajuda dos independentes, e estes (maioritariamente jovem), só votam em quem não reside na Praia. Quando era Marzim/Filomena, apostaram em Marzim (residente na Praia) em vez de Filomena (residente em Mindelo) e perdemos. Depois, apostaram em Filomena (já residente na Praia) em vez de João do Carmo (residente em Mindelo) e voltamos a perder. E agora, querem importar da Praia Manuel Inocêncio e Filomena, outra vez. Acho que ainda não perceberam que os Mindelenses só querem uma pessoa que identificam como sendo de São Vicente. O MPD fez a mesma burrada com Jorge Santos (de Santo Antão, mas a concorrer em São Vicente), e também perderam. Assim, o meu conselho é: Ou apostam no João do Carmo, ou no Alcides Graça. E não se esqueçam…. Nesta guerrinha, quem vai ganhando terreno é a UCID. Pena que o Monteiro não tem capacidade de capitalizar esta questão ao seu favor.

  2. JJ

    Não tenho dúvida que o PAICV é o Partido no Governo que mais já fez para Cabo Verde. Mas também não tenho dúvida que este Governo, há muito vem preparando a sua derrota nas legislativas e autárquicas de 2016.

  3. José Pedro

    Este é de facto um bom artigo. Porém, peca no que se refere ao João do Carmo nas autárquicas de 2012, pois em boa verdade João do Carmo não exigiu um contrato escrito com JMN, nem podia. O que verdade é que ele (João) foi escolhido pela então CPR S. Vicente para cabeça de lista nas legislativas e cedeu, a ultima hora, à favor da Nelita, por proposta de José Maria Neves, que lhe afiançou que tudo faria para que ele avançasse com o seu projecto para a Câmara de S. Vicente em 2012. Tanto mais que foi o próprio João que na reunião do Conselho Nacional, que iniciou momentos depois desse encontro com JMN, que apresentou a Nelita como cabeça de lista para S. Vicente. Gesto que foi muito aplaudido naquela reunião. Só que JMN, em fins de 2011, aparece a propor o João para que a Nelita fosse candidata a presidente da Câmara de S. Vicente. E foi aí que a coisa desandou.

    “À César o que é de César, à Deus o que é de Deus”

    José Pedro

  4. roxana aguilera

    Ta provado q inocencio e filomena pasan o escrutinio casa foram a ELEIÇOES .Eles ten MEDO , PAVOR das ELEIÇOES !! 🙂 Comportados como MEDIOCRES e INCOMPETENTES ,so’ passan como NOMEADOS !!!!!!!!!! 🙂 🙂 COmo disse Obama .Para quando se e’ FELIZ ?? Nada como sair as ruas e sentirse pessoa querida ,quem pode sentir esso ,pode ir seguro a eleiçoes !!

  5. roxana aguilera

    Error , E-R-R-O-R !!! Onde diz Esta provado q passan , deve dizer não passan !!
    Fazan a prova !!! Vai ….:)

  6. Jose Aleixo

    pode-se até não gostar do Eduino Santos . Mas a verdade é que ele continua mostrando corajem em assinar os seus artigos e trazer para debate o que está nos bastidores do partido . Respeito a sua opinião que é apenas uma opinião . Mas tem o mérito de usar o artigo de opinião para especular e não ficar a espera dos partidos convocarem conferencias de imprensas para dizerem o que querm. este artigo acaba por refletir o que se passa no PAICV e que ninguem qure assumir publicamente. Mas coitado do João do Carmo viu a careca descoberta 5 anos depois.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.