Garantido desembolso para o Programa Casa para Todos

20/08/2015 08:55 - Modificado em 20/08/2015 08:55
| Comentários fechados em Garantido desembolso para o Programa Casa para Todos

casa para todosMoisés Borges garantiu que a continuidade do Programa casa para Todos, com financiamento da linha de crédito de Portugal está garantida.

O membro da comissão política do PAICV explicou que o governo conseguiu negociar com o seu homologa português uma adenda ao contrato que vai permitir a retoma total da execução do programa.

E garante que os desembolsos começam nos próximos dias. “Neste momento o processo de negociação de adenda ao contrato já está concluída e assinada, tanto por Cabo Verde, como por Portugal”, sendo assim estão reunidas todas as condições para que os desembolsos aconteçam nos próximos dias, explica Borges, “e assim as empresas terão as condições de retomar as empreitadas e devolver o emprego as pessoas e devolver a tranquilidade ao próprio programa, que se propõe construir mais e muitos mais habitações para todos os cabo-verdianos”, esclarece.

Para a comissão política do PAICV a confiança dos cabo-verdianos no programa é grande, fato demostrado no seu entender pelo número de inscritos que neste momento é três vezes superior ao número de casas a construir. “Neste momento para as casas construídas, o governo tem em cima da mesa várias soluções”.

E garante que o governo tem várias soluções em cima da mesa, sendo que a renda resolúvel é uma solução mas também não se descarta a possibilidade de vendo ao mercado, esclarecendo que existem muitas pessoas com vontade de adquirir estas casas no mercado e com os preços praticados. “O programa tem grande virtude de controlar os preços no mercado. Estamos a falar de habitações do tipo T3, que normalmente são vendidas no mercado livre acima de sete/oito mil contos e que o programa se propõe vender a quatro mil novecentos e cinquenta contos, estamos a falar de preços absolutamente controlados e com garantia de qualidade”. “É este o grande diferencial que o programa trouxe para a imobiliária nacional”, assegura.

Estavam previstas cinquenta empreitadas sendo que metade já está concluída, num numero total de dois mil cento e oitenta e oito casas.Moisés Borges explicou ainda que 834 famílias já estão a viver nas habitações. Com uma taxa de ocupação de sessenta e cinco por cento.

O NN apurou junto de empresas com obras no projecto casa para todos  que os desembolsos já estão agendados e que de facto da parte portuguesa as verbas já foram disponibilizadas .

Em São Vicente  nas obras do programa Casa para Todos  o ritmo diminuiu mas  nunca esteve em causa a paralisação das obras . tanto que neste período de negociação  foram feitos desembolsos  as empresas atarves de empréstimos contraídos pelo IHF

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.