MpD diz que Governo deve 9,5 milhões de contos às famílias e empresas

12/08/2015 09:00 - Modificado em 12/08/2015 09:00

endividamentoEm comunicado de imprensa, o MpD afirma que o “Estado deve hoje mais de 6 milhões de contos às famílias, um valor acima de 4% do PIB e dois milhões de contos de IUR e IVA; 1,5 milhões de contos ao sistema”. Por isso, mais uma vez, o MpD aponta o dedo ao Governo no que considera ser a “deterioração da situação económica do país”. Em comunicado divulgado no dia 11, os “ventoinhas” afirmam que “O MpD já tinha alertado o Governo.

A realidade não se altera por decreto, nem com pacotes de propaganda e de medidas avulsas. A economia cabo-verdiana continua em profunda estagnação e o potencial de crescimento económico tem estado a reduzir-se e quedou-se hoje para níveis abaixo dos 3%”. Para este partido da oposição, a propaganda do Governo sobre o crescimento é enganosa pois, de acordo com os seu dados, o crescimento real efectivo situa-se na ordem de 1%, “pelo que Cabo Verde cresce hoje menos do que todos os seus principais parceiros e competidores, menos do que o continente africano (seis vezes menos), menos do que os países da região da CEDEAO (cinco vezes menos) e menos do que os pequenos países insulares (três vezes menos).

O Mpd volta a bater na tecla do mau entendimento do Governo sobre o papel das empresas na nossa economia e afirma que “o Governo não consegue compreender que as empresas são instituições da mais elevada importância no país e que são as empresas que geram empregos e rendimentos, competem à escala global, criam valor, inovam, produzem e exportam”. Para o Mpd, a prova disso é que “o ambiente de negócios é mau e sublinha que o país continua ainda na cauda de avaliação em termos de ambiente de negócios e de competitividade”.

Por este motivo, o MpD sustenta que o ambiente de negócios é mau pois, “o país continua a ser confrontado com uma contínua deterioração das condições de acesso ao financiamento às empresas”, enquanto que o ambiente de negócios continua a enfrentar uma permanente redução do rendimento disponível e da procura interna e um aumento continuado do desemprego e do subemprego.

  1. Francisco andrade

    Tudo o que a oposição falou é pura realidade. Deixemos de adorar esses governantes que pintam o país com ” boa governação”, deixemos de ser fanáticos porque os camaradas te retribuíram um favor,sejamos realistas… pois os cidadãos estão endividados… o governo não devolve o IUR desde 2008, e a classe que revindicar os direitos é ameaçada de “demissão, como é o caso da PJ.

  2. Jonas

    Eu já não acredito neste Governo, principalmente na Sra. Ministra das Finanças, em devolver o IUR pelo menos de até 2011. É uma senhora mentirosa e cínica. É vergunhoso essa postura do Governo de deixar acumular dividas com os cidadãos, de praticamente duas legislaturas e ainda por cima arranja-se modos de cobrar coercivamente aos que devem. Onde está a moral deste Governo e como acreditar que o nosso Governo é uma pessoa de bem?
    Espero que o MPD que vem batendo (e bem) nesta tecla constantemente consiga, se ganhar as eleições pagar toda essa dívida.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.