Ilhéu de Santa Maria continua ocupado contra “um investimento para ricos”

5/08/2015 08:42 - Modificado em 5/08/2015 08:42

Projecto-David-Chow-djeu-740x400Um grupo de 40 pessoas do movimento “Korrenti di Ativista” decidiu desafiar a soberania do Estado e ocupar o ilhéu de Santa Maria, na cidade da Praia. Desde ontem que ali estão acampados em protesto contra a construção do empreendimento turístico que o Governo tem previsto para aquela zona.

À agência Lusa disseram que estão a ocupar a ilha. A ilha está abandonada e o Governo quer vendê-la e não podemos aceitar que um pedaço de terra de Cabo Verde seja vendido. Dizem que estão dispostos a permanecer na ilha o tempo que for necessário para impedirem o início das obras, defendem que o empreendimento promovido pelo empresário chinês David Chow, irá servir sobretudo para trazer para Cabo Verde “lavagem de capitais, prostituição e turismo sexual”. O Governo ainda não se pronunciou sobre o assunto, nem tão pouco tomou qualquer medida com o anúncio de um grupo de cidadãos da ocupação de uma parcela do território nacional.

Inicia assim um braço de ferro que desafia um investimento de 250 milhões de euros que ocupará uma área de 152.700 metros quadrados que inclui o ilhéu de Santa Maria e parte da praia da Gamboa. Mas o movimento não está virado nesse sentido e faz saber que “apesar de não haver ainda data prevista para o arranque das obras, é preciso começar a mobilizar as pessoas contra um investimento para ricos”.

Os activistas adiantam que a ocupação da ilha é a primeira fase da estratégia de luta contra a construção do complexo turístico e apelam para a mobilização e o apoio da população para esta causa.

O movimento “Korrenti di Ativista” é uma organização não-governamental cabo-verdiana que junta associações que intervêm junto das crianças e jovens dos bairros mais desfavorecidos da Cidade da Praia.

  1. Lidia de Jesus

    Isto é uma obscenidade. Simplesmente

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.