“Catchorinhas” mortas nas praias de Santo Antão

27/07/2015 08:07 - Modificado em 27/07/2015 08:07

pescadoEm declarações à RCV, o Delegado Marítimo do Porto Novo, António Santos explica o que pode estar na base do aparecimento das melvas, que são vulgarmente chamadas de “catchorinhas”, nas praias de Santo Antão.

Segundo António Delgado, o aparecimento destes peixes advém do derrame de pescado proveniente dos barcos de pesca que fazem a faina em Santo Antão. “E este pescado é derramado pelos barcos que não conseguem armazená-lo”.

Tendo em conta a situação, não hesita em falar de crime ambiental. “Entendemos que este derrame consista num crime ambiental e num atentado à saúde pública e, sendo assim, exige-se uma tomada de atitude por parte das diversas autoridades e, no caso concreto, a AMP, o INDP, a Aquopesca, a Associação de armadores de pesca, a Delegacia de Saúde e a Câmara Municipal”.

Avança ainda que a Câmara Municipal e outras instituições estarão reunidas hoje, segunda-feira, para uma análise detalhada desse acto que constitui uma contra ordenação punida por lei.

“Estamos a investigar, estamos à procura dos culpados para que a Agência Marítima Portuária tome as devidas medidas para que a situação que é um atentado à própria saúde pública, possa ser resolvida”, afirma.

De acordo com a lei, os responsáveis por esse acto poderão incorrer numa coima que vai de vinte a cinquenta contos. E esta situação já levou à interdição das praias aos banhistas, uma medida que, segundo o Delegado Marítimo, se justifica como salvaguarda da saúde pública.

  1. Xuxante

    Enquanto que na Praia, já não se pode comprar peixe a um bom preço (um xixarro está a 100$00 cada) outros resolvem descartar… Podiam distribuir para quem não tem nada. Paciência!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.