Corpo de estudante atropelado no Brasil vai ser enterrado em Santo Antão

23/07/2015 08:46 - Modificado em 23/07/2015 08:46

Paulo RomaoColegas, amigos e familiares de Paulo dos Santos, estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Estácio, mobilizaram esforços e conseguiram angariar fundos para transportar o corpo do estudante atropelado por um desconhecido em Fortaleza, Brasil.

 

Paulo Jorge Romão dos Santos residia na zona de Chã de Itália, cidade do Porto Novo, Santo Antão. Para satisfação da família, o corpo do jovem de 24 anos chega esta sexta-feira a Santo Antão.

Os estudantes cabo-verdianos no Brasil continuam solidários uns com os outros. Colegas, amigos e familiares não pouparam esforços e conseguiram mobilizar cerca de seiscentos contos para transportarem o corpo do colega para ser enterrado na sua ilha natal, Santo Antão.

Recorda-se que aquando do acidente no dia 15 de Julho, os estudantes mobilizaram uma campanha de doação de sangue no sentido de salvar a vida do amigo e colega. Apesar de tudo, o jovem não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer no Hospital IJF, dois dias após o acidente.

Graças à mobilização e à boa vontade de vários amigos, vizinhos, colegas, estudantes e igrejas, os familiares poderão realizar um funeral digno ao jovem estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Universidade Estácio.
O Governo de Cabo Verde, através da Ministra da Saúde prometeu ajudar no transporte do corpo do estudante. Sabe-se que assumirá apenas as despesas de transporte, Praia – São Vicente.

O estudante santantonense, “Fani”, como era conhecido, foi atropelado no passado dia 15, quarta-feira, em Fortaleza, Brasil, quando seguia na sua moto na avenida Santos Dumont, Brasil.

O embate terá sido provocado por uma viatura que seguia em alta velocidade provocando o acidente e levando à morte do jovem estudante natural do Porto Novo, Santo Antão, por traumatismo encefálico.

O autor do crime continua a monte, pelo que o crime não deve ser qualificado como um simples acidente de trânsito, mas sim um homicídio doloso.

Paulo Santos era um bom aluno e esforçado, pois trabalhava como empregado de mesa para ajudar a custear os seus estudos.

Os familiares da vítima aguardam ansiosos pela chegada do corpo de Paulo de modo a realizarem um funeral digno. Depois do dano feito e da dor dos familiares, só resta esperar que a autoridade brasileira identifique o culpado e que justiça seja feita.

  1. Morte muito triste mas a justiça sera feita o culpado vai pagar o que deve nas mãos da policia federal

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.