Concurso público para cargos de direcção: quando a esmola é demais o santo desconfia

21/07/2015 08:06 - Modificado em 21/07/2015 08:06

jobsOs mindelenses não acreditam que os cargos de direcção da administração pública vão passar a ser recrutados por concurso público e não por escolha directa do membro do Governo que tutela o sector ou órgão

Os cargos de direcção superior em Cabo Verde – directores nacionais, directores gerais e equiparados, vão passar a ser ocupados por concurso público e não por escolha directa do membro do Governo que tutela o sector ou órgão. Esta medida aprovada pelo Conselho de Ministros da última quarta-feira, alterou o regime da função pública em que o membro do Governo escolhia as pessoas para ocupar os cargos de direcção superior.

Alguns mindelenses ouvidos sobre esta questão, mostram-se desconfiados  e chegam  mesmo a afirmar que esta medida não passa de uma estratégia do Governo, que em ano pré eleitoral está a arranjar formas de conquistar a classe votante: o povo.

De acordo com várias vozes ouvidas por este online, “o Governo está a tentar corrigir um erro que ele mesmo alimentou durante quinze anos em que esteve no poder. Cabo Verde inteiro sempre soube que existia esta preferência ou apadrinhamento por parte dos governantes e agora que as eleições se aproximam querem, de alguma forma, “lutar” contra este sistema que está bastante viciado”.

“As cunhas sempre existiram, não é um diploma assinado por aqueles que têm vindo a ser beneficiados com isso que vai ditar o fim de um ciclo vicioso, mas é bom saber que, pelo menos, estão a fazer algo em relação a isso, mesmo que seja apenas no papel”.

Decorridos 15 anos, logo no início do mandato, o PAICV tinha anunciado medidas para despartidarizar os cargos da administração pública. Paulo Rodrigues (nome fictício) afirma que este diploma deveria ter saído há muito tempo, mesmo que não fosse algo fácil de implementar, mas as pessoas já estariam a lutar no mesmo nível daqueles que têm sido beneficiados através de politicas e não de competências, já que estes cargos sempre foram preenchidos através de cunhas”. Paulo conclui dizendo “Esta medida de escolha dos profissionais através de concurso público, se acontecer, os cargos de direcção superior vão estar mais bem “apetrechados”, com profissionais de qualidade mas, como sabemos que isto não vai parar, só resta à população começar a exigir dos políticos a sua responsabilidade

  1. SL

    No INPS com a actual Administração, pensamos que não vai haver mais JOBS FOR THE BOYS. Pensamos que chegou o fim de um ciclo vicioso que vigorou desde 2010 no Instituto Nacional de Previdência social.

  2. roxana aguilera

    estaba decorrer concurso de 26 candidatos para CA/HBS, siendo q la #27 PRIMA di a PCA/HBS q tambem foi NOMEADA por o apelido VASCONCELOS Ldta e q jamais ttrabalho em Portugal em hospitais x NAO ser especialista ,deu um maozinha e puxoa direito ao cargo e o concurso …. q concurso??? e ministra CFL ACEITO ESTE ACTO CORRUPTO !!! Decretando no B:O ambas nomeaçoes JUNTAS com salarios % 198-220 000 + mordomias sem ser quadros IDONEOS ,nem CAPACITADOS esso sim um VAZIO EXTENSO do CURRICULUM !!!! Quem presentou a PCA/HBS a CFL ?
    Foi as Inocencios q usanla como LARANJA de Samila Evora Inocencio sedenta de poder pero nao de estudo , onde esta o TITULO de ESPECIALISTA ?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.