Faleceu o jornlista Armindo Pires: RIP companheiro de jornada

13/07/2015 07:00 - Modificado em 13/07/2015 09:06
| Comentários fechados em Faleceu o jornlista Armindo Pires: RIP companheiro de jornada

lutoFaleceu o jornalista Armindo Pires , nascido na Cidade do Mindelo, a 10 de Fevereiro de 1963, trabalhou no extinto Jornal Voz di Povo, onde trabalhou durante dez anos, antes de emigrar para os Estados Unidos da América.

Mas Armindo era acima de   tudo um companheiro de jornada , de luta , de trabalho  de paródia: um companheiro para vida  que a morte leva assim. O meu companheiro  Armindo, de sorriso eterno nos  lábios, uma conversa longa para se partilhar, um trago e um cigarro e conversa começava de novo, era um grande jornalista  porque  era um grande homem: irreverente que escreveu e pensou do seu jeito. Obrigado, companheiro pelo exemplo, pelas partilhas, pelas longas noites  de conversas, tragos, cigarros, escritas e encontrar os caminhos do jornalismo do nosso tempo, mas na descontra como teu sorriso que não deixava de sorrir  nem que Fortim caísse. Permite, companheiro  de boa prosa e pena leve  que  hoje se abra, por ti  o melhor vinho da safra
Beba o melhor vinho da adega
Aquele com gosto a moscatel e impregnado de mel
Aquele vinho que só os valentes
Aqueles que conseguem viver de acordo com a sua consciência  podem beber
Hoje celebro o companheiro  de jornada
E bebo o vinho dos valentes
Já  está companheiro !!!!!!!

Eduino Santos

Comunicadao da AJOC

COMUNICADO DE PESAR

A Direcção da Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC), os membros, os jornalistas e profissionais da comunicação social em geral receberam com muito pesar a notícia da morte do jornalista Armindo Rodrigues na noite de sábado, 11 de Julho.

Nascido na Cidade do Mindelo, a 10 de Fevereiro de 1963, Armindo Rodrigues distinguiu-se como jornalista do extinto Jornal Voz di Povo, onde trabalhou durante dez anos, antes de emigrar para os Estados Unidos da América.

Formado pela Escola de Jornalismo do Maputo, Moçambique, em meados da década de 80 do século passado, após o seu regresso ao país, Armindo Rodrigues passou a fazer parte da redacção do então semanário Voz di Povo.

Enquanto jornalista, Armindo Rodrigues destacou-se como profissional dedicado, que desempenhou com mestria e competência a profissão que abraçou, tendo das suas penas saído extraordinárias reportagens e crónicas retratando o dia-a-dia destas ilhas e o labor do povo cabo-verdiano em busca de uma vida melhor.

Fundador da AJOC, Armindo Rodrigues foi uma referência nestes géneros e um exemplo a considerar pelas futuras gerações de profissionais da imprensa escrita e perdurará na nossa memória como homem culto, amigo dos seus colegas e um jornalista de corpo inteiro sempre fiel às suas convicções.

Ao lamentar o desaparecimento físico de Armindo Rodrigues, a AJOC recorda-se também da sua irreverência e dimensão humana, qualidades que fizeram dele um profissional respeitado, sobretudo pelos seus pares, ao mesmo tempo que, com o seu trabalho, prestigiou a classe dos jornalistas cabo-verdianos.

Nesta hora de dor, a Direcção da AJOC aproveita para endereçar as suas mais sentidas condolências à esposa Dulce, ao filho Diego e ao irmão, nosso colega da Rádio de Cabo Verde,  e vice-presidente da AJOC Orlando Rodrigues.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.