CPI Segurança Marítima: ou a culpa morre solteira ou é do PAICV ou do MpD

10/07/2015 08:14 - Modificado em 10/07/2015 08:14

TuninhaSabe-se que em Cabo Verde quando não se quer resolver uma coisa cria-se uma comissão de inquérito para investigar a coisa. Terão razão as pessoas que pensam assim, tendo em conta que “não se conhece nenhuma CPI que tenha conduzido a resultados práticos e quando se conseguiu, reflectiu o que seja o MpD, seja o PAICV entenderam conforme os próprios interesses partidários”.

Enquanto no Mindelo familiares e amigos manifestaram-se exigindo medidas em relação ao acidente do navio Vicente, enquanto esposas, filhos, mães dos mortos no naufrágio comem o pão que o Diabo amassou, enquanto os tripulantes que sobrevivem continuam sem serem indemnizados, na cidade da Praia, no ar condicionado, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a Segurança Marítima ouviu hoje os ministros responsáveis pelos sectores marítimo e da segurança, no âmbito das averiguações que decorrem sobre o desaparecimento do navio Roterdão e o afundamento do navio Vicente. O certo é que os familiares com quem o NN falou, consideram que essa CPI não vai levar a nada, “pois, sabe-se que em Cabo Verde quando não se quer resolver uma coisa cria-se uma comissão de inquérito para investigar a coisa”. Terão razão as pessoas que pensam assim, tendo em conta que “não se conhece nenhuma CPI que tenha conduzido a resultados práticos e quando se conseguiu, reflectiu o que seja o MpD, seja o PAICV entenderam conforme os próprios interesse partidários”.

E nada faz crer que não seja esse o caminho que essa CPI irá seguir. “É um naufrágio anunciado porque não vai conduzir a nada”.

As declarações de Marisia Morais – Segurança, Rui Semedo – Defesa e Sara Lopes – sector Marítimo, ao saírem do encontro com a Comissão, antevêem o naufrágio de um inquérito à moda da casa onde, como se sabe, a culpa “morre sempre solteira. Ou quando há culpa, é do MpD ou do PAICV”. O que nunca pode agradar às viúvas e aos órfãos que não têm comida na mesa desde que os seus parentes morreram no mar do Fogo.

Marisia Morais disse à Inforpress que “à medida do país, tem sido feito um investimento significativo na formação da Polícia Marítima, particularmente com recurso à cooperação internacional, designadamente com a cooperação portuguesa e os Estados Unidos”. Mas, da teoria à realidade, não se entende como, de acordo com o relatório da AM, o navio Vicente saiu sobrecarregado do Porto da Praia e, se assim é, onde estava a Polícia Marítima?

Rui Semedo que parece não ter culpas nesse cartório, disse que as Forças Armadas e a Defesa Nacional se envolveram nos contactos com os parceiros. “Na altura, tínhamos no país meios com muito mais capacidade que os nossos que foram mobilizados para outras missões. Mobilizamos o P3 [avião] de Portugal. Também participou o P3 dos Estados Unidos que tinha vindo para uma outra operação em conjunto com as nossas FA aqui nas nossas águas”.

E a Ministra das Infra-estruturas e Economia Marítima, Sara Lopes, que é apontada como sendo a governante com mais responsabilidades na matéria, ao sair da sala depois de mais de duas horas de audição, escusou-se a falar para a imprensa, dizendo apenas que “tudo o que tinha para dizer já tinha dito na sala. E sabe-se que, para Sara Lopes, como ela disse no Parlamento, “a culpa é dos governos do MpD que tomaram um conjunto de medidas que desestruturaram o sector”.

Resta esperar pelos resultados da CPI, na certeza que “a culpa ou morre solteira ou é do PAICV ou do MpD”.

  1. CidadaoCV

    Pois é … Será mais uma CPI, para o zarolho ver. E os resultados vão, como sempre levar a nada, ou no de sempre: – Politiquice. Cabo Verde tem os dois partidos políticos mais palhaços do mundo.

  2. JOÃO FORTES

    O CULPADO DAS MORTES NO NAVIO VICENTE FOI O JOSÉ FORTES (ZECA) ANTIGO PRESIDENTE DA AGENCIA MARÍTIMA E PORTUÁRIA. QUEM O DIZ SÃO OS INSPECTORES DESSA MESMA AGENCIA MARÍTIMA. AS BUSCA FORAM MAL FEITAS PORQUE AS DUAS EMBARCAÇÕES DE BUSCA E SALVAMENTO QUE ESTÃO EM S.VICENTE DESDE 2010 NÃO ESTAVAM OPERACIONAIS. O JOSÉ FORTES FOI FAZER SEUS NEGÓCIOS NA AGENCIA MARÍTIMA E DESCUIDOU DA SEGURANÇA MARÍTIMA. EM MENOS DE 2 ANOS VIAJOU MAIS DE UMA CENTENA DE VEZ PARA A PRAIA. OS FAMILIARES DAS VÍTIMAS DEVEM MOVER UM PROCESSO CRIME CONTRA O JOSÉ FORTES, ELE FOI UM CRIMINOSO. POR FAVOR PUBLICAM ISSO.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.