‘’Cesária, a rota da Lua vagabunda”

7/07/2015 08:50 - Modificado em 7/07/2015 08:50

cesaria‘’Cesária, a rota da Lua vagabunda” é o mais recente livro escrito por Tchalê Figueira e Vasco Martins em homenagem a Diva dos pés descalços.

Vasco Martins, músico e compositor cabo-verdiano e o artista plástico Tchalê Figueira, ambos grandes amigos de Cesária Évora tiveram a  ideia reunir as recordações da cantora Cesária Évora e produzir o “ modesto” livro intitulado ‘’Cesária, a rota da Lua vagabunda”.

Em entrevista ao NN, o músico Vasco Martins diz que os registos do livro situam-se entre 85 e 89 “ com uma ou outra incursão nos anos seguintes, mas ligeiras”. Foram os anos das ‘vacas magras’, anos que antecederam a ascensão da Cesária, uma espécie de “viagem da memória” por factos da vida daquele tempo, tendo como figura central a Cesária e a sua “tradicional rota nocturna”.

“A rota da Lua vagabunda” é uma homenagem de ternura á Cesária Évora e conta com um pouco mais de trinta páginas, em pequeno formato. Vai ser editado pela OCC (Orquestra Clássica do Centro), sedeada em Coimbra.
A ideia de escrever o livro surgiu em Abril , na Cidade Velha após um almoço entre amigos. No meio da “ boa disposição, o ‘mar atlântico’ daquela pequena baía cheia de história, a nossa história primordial, vinho bom…” Quando questionados sobre a rota de Cise “ isto é os seus hábitos nocturnos, antes de se tornar mundialmente famosa.

E porque não escrevemos o Tchalê e eu, uma ‘rota da Cesária’ já que sabíamos dela tantas coisas?” Prontamente os artistas Tchalê e Vasco Martins abraçaram o desafio e começaram a trocar correspondência (via facebook, que serve também para boas coisas! O Tchalê mais a parte vivencial da boémia, eu a parte de um projecto artístico e um ‘destapar do véu’ da personalidade da divina cantora Cesária que ela camuflava muito bem.

A primeira apresentação do livro acontece no dia 11 de Julho em Coimbra, na sequência dos quarenta anos da Independência de Cabo Verde. O lançamento oficial da “A rota da Lua vagabunda” em Cabo Verde será em breve, possivelmente nas escadinhas da antiga loja do Toi Duarte, “onde a Cesária todas as tardes se sentava e onde a íamos encontrar”.

  1. Carlos Jorge W. F.

    homenagem de 2 palhiassos!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.