Mãe quer saber porque negaram ao filho uma bolsa de estudo em Medicina

3/07/2015 08:16 - Modificado em 3/07/2015 08:16

medicoMaria da Luz Santos, residente na Ribeira da Torre, Santo Antão, encontra-se em São Vivente tentando obter esclarecimentos sobre uma bolsa de estudos que “deveria ter sido atribuída” ao seu filho. Esta cidadã mostra-se revoltada e injustiçada. Conta que o filho, desde que terminou o ensino secundário tem tentado seguir os estudos na área de medicina.

Como conta ao NN mostrando os documentos, o filho Samuel Marco Santos que terminou o secundário com média de 17 valores, participou num concurso de bolsa de estudos para cursar medicina em Cuba. Dos resultados, Samuel ficou em segundo lugar no concurso com média final de 14,40. Ele foi ultrapassado por Maria Conceição Pina Alves com 14,50 e à frente de Dulcineia dos Santos Sanches com 14,32. Na lista, Samuel surge como segundo pré-seleccionado, o que fez a mãe acreditar que conseguiria a bolsa de estudos.

Samuel deslocou-se à Praia, como conta a mãe, para a entrevista. “Fiz um enorme esforço para que ele pudesse estar no dia marcado”. E não entende porque é que a bolsa não foi atribuída ao filho. E quer uma explicação do Ministério da Educação . É por esta razão que ela diz estar a tentar entrar em contacto com os responsáveis do concurso de bolsas mas, até agora, sem sucesso

Maria da Luz, que  trabalha como ajudante de carro em  Santo Antão, diz que numa das conversas que teve com “alguém do Ministério” no outro lado da linha perguntou-lhe se ela “achava que a bolsa iria ser dada a um filho de ajudante de carro”. E conta que este é um dos episódios que mais a tem revoltado. Diz que já tentou falar com a Ministra da Juventude aquando da sua visita a São Vicente, mas sem sucesso.

Ela pretende apenas saber a razão pela qual a bolsa foi negada. Este é o objectivo principal, como revela. Maria da Luz carrega um rascunho com as perguntas e respostas da entrevista. “Única coisa que não soube responder foi quantas pessoas vivem em Cuba”. E baseado no questionário não entende porque é que a bolsa foi negada e quer que lhe seja explicado.

O filho terminou o ensino secundário e conta que tentou várias vezes uma bolsa mas não conseguiu. Caracteriza-se a si mesma como uma mulher que faz tudo pelos filhos. Maria da Luz tem três filhos, uma a estudar em Portugal, outro que terminou o ensino secundário e Samuel que ainda está na luta para conseguir “a bolsa de estudos para Cuba”.

Tentámos falar com alguém responsável no Ministério do Ensino Superior, mas encontrava-se ausente o que voltaremos a tentar para procurar uma explicação por parte da entidade.

  1. mim

    É bem sabido que o Sr Antonio Oliveira da embaixada de Cabo Verde em Cuba tentou desviar uma dessas bolsas de estudo para o seu filho lá mesmo, isso depois de que as suas duas filhas estudam (ram) Medicina e Odontologia lá na ´´maskadjan´´…. no final acho que nao conseguiu.

  2. Sofia

    Amôs Senhóra, bocê ca tita oiá que quel bolsa destinode a bocê fidje ba pa fidje de um pessoa cunchide? Quem mandá bocê ca ser cunchide? Ness terra li quem q ta mandá ê ês…. Coraja e boce dá boce expediente até consegui. Força!

  3. Solidaria

    Alguem TEN q EXPLICAR ISTO !!! Este Jornal pode Aiudar perguntando no M.E ,quem vai a RESPONDER a este JOVEN o q acontecio com seu BOLSA . ,Agora q Cuba vai ficar de relaçao com EEUU estudar la vai ser muito valorizado !! X agora MUITA FOME se esta passar na minha territa . DEN A BOLSA a este JOVEM ,partia de CORJAS !!

  4. Fernando

    A ser verdade, é triste olharem à condição social da pessoa para atribuírem as bolsas de estudo. Com certeza que os filhos dos políticos tem direita à bolsa. Triste gente essa.
    Daqui o meu abraço de solidariedade para essa grande mãe.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.