Novas tarifas dos TACV: governo lava as mãos como Pilatos

25/06/2015 07:36 - Modificado em 25/06/2015 07:36

TACVDirector-geral da Mobilidade e Transportes, do Ministério das Infra-estruturas e Economia Marítima, Anastácio Silva, afirma que a reestruturação das tarifas por parte dos Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) deve ser resolvida entre esta empresa e a Agência de Aviação Civil (ACC). O director acrescenta que o Governo não pode colocar em causa a autonomia das duas empresas. Ou seja o governo age como Pilatos: lavas as mãos e… o consumidor que se dane.

Anastácio Silva diz à RCV que “é uma situação que deve ser tratada entre o regulador, a regulada e a instância judicial; o Governo não pode interferir porque estaríamos a colocar em causa a autonomia tanto da ACC como dos TACV”. Ainda assegura que o Governo não pode intervir e afirma que “não há um regulamento claro sobre as tarifas, então o que os TACV devem fazer é registar as tarifas junto da ACC e esta deve verificar se a tarifa não penaliza o utente”.

A Ministra dos Transportes não respondeu às questões de António Monteiro, Presidente da UCID, mas o Director-geral da Mobilidade e Transportes, do Ministério das Infra-estruturas e Economia Marítima responde publicamente e descarta a responsabilidade do Governo, mas assegura que “o que se deve exigir do Governo é que haja mecanismos de regulação do mercado”. Contudo, Anastácio Silva adianta que “estamos a trabalhar neste sentido e dentro de pouco tempo teremos o sistema de serviço público inter-ilhas. Vamos contratualizar o serviço porque, neste momento, o mesmo é liberado e trata-se de uma estratégia comercial da companhia mas, a partir do momento em que passarmos a ter um contrato de obrigação de serviço público, a ACC terá os parâmetros claros para fazer o seu trabalho”.

  1. Pedro Silva

    Muito me parece que quem quer vender deve promover sucessos na sua venda; Ao contrário, TACV sobe as tarifas e desestimula o interesse nas viagens; Se as passagens forem acessíveis uma pessoa pode tratar seu assunto de forma pessoal mas se são caras, há muita coisa que se resolve por intermediários, emails. ou que vão ficando para depois ( melhores dias) se querem vender muito devem promover viagens acessíveis e não caras; Maioria dos Cabo-verdianos viajam mesmo por necessidades.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.