UCID: “exige quebra do silêncio por parte do Governo sobre a reforma das tarifas dos TACV”

24/06/2015 07:49 - Modificado em 24/06/2015 07:49

ANTONIO MONTEIRO3António Monteiro, Presidente da UCID, exige ao Governo um posicionamento face à reestruturação das tarifas dos Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) sem o aval da Agência de Aviação Civil (AAC).

António Monteiro diz à RCV que “a UCID não está a questionar se os TACV aumentaram ou não as tarifas. Estamos a questionar a falta de respeito perante uma instituição que nós consideramos de extrema importância para o desenvolvimento dos transportes aéreos de Cabo Verde e da Aeronáutica Civil que, de uma forma geral é desrespeitada”. António Monteiro acrescenta que o que está em causa é o cumprimento da lei e assegura que há um regulamento da ACC, no qual um dos administradores dessa mesma agência se posicionou publicamente de forma clara e “estranhamos o silêncio ensurdecedor a que o Governo, a Aeronáutica Civil e os TACV se remeteram”.

O Presidente da UCID exige a quebra do silêncio e apela à tomada de uma posição pública por parte do Governo e em concreto, da Ministra dos Transportes. Ainda António Monteiro afirma que o povo cabo-verdiano merece uma explicação porque “entendemos que as agências servem para regular essas actividades e não deverá caber só a uma empresa de forma unilateral, definir aquilo que é bom porque lhes rende alguns centavos e, com estes, tem maiores ganhos económicos para a empresa”.

  1. JOAO

    NINGUÉM DIZ NADA, POIS O POVO CONTENTA COM TUDO. Os Cabo-verdianos só sabem reivindicar banalidades.

  2. TACv

    TACV practica o preço mais baixo entre EUA e Cabo Verde do que qualquer outra companhia, mesmo comparando o preço mais alto das tarifas dos TACV não se compara com o mais baixo de otras companhia. O Prisidente da UCID está a ser demagogo aliás apanagio dos politicos em Cabo Verde para disfarcar incompetencia, pois como Engenheiro deveria saber que existe custo operacional que devem ser salvaguardados no sentido de continuar a permitir a rentabilidade e operacionalização dos voos.

  3. Maria José

    Fosse do interesse de José MNaria Neves, ele já teria pronunciado como um papagaio. Papaxinho, deputado do PAICV tambem já teria saido na praca como outro papagaio. Triste nos terra, triste nos politicos, triste nos ignorantes armados em sabichao.

  4. Joao Lopes Filho

    Esta lenga-lenga dos custos operacionais é para tentar enganar os mais incautos pois um Fortaleza – Paris custa 400 dólares com quase o dobro de horas de voo do que um Praia – Boston! E essa hein? Os Cabo-verdianos emigrantes e residentes estão a ser usados para subsidiar os Brasileiros e Europeus nas suas viagens entre o Brasil e a Europa…É preciso que a Administração incompetente dos TACV deixar de pensar que consegue ludibriar os Cabo-verdianos! Os Delegados no exterior que o digam!

  5. UCID EXIGE

    ESSE GAJO NÃO TEM ESPELHO EM CASA? NÃO TEM UM AMIGO CAPAZ DE LHE MOSTRAR A REALIDADE?

  6. Julio Goto

    …a TACV me faz lembrar do ICELANDAIR nos anos 80 .Nos anos 90 o monopolio do Icelandair caiu passamos a viajar a um preco aceitavel,nao so aumentou o numero de vizitantes.
    O monopolio da TACV e a TAP e um BARRREIRA para a economia caboverdeana

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.