JMN: “as prisões não devem ser encaradas como depósito de gente desesperançada”

18/06/2015 07:40 - Modificado em 18/06/2015 07:40

JMNO Primeiro-ministro não quer que as prisões sejam encaradas como depósito de gente desesperançada. Defendeu na sua intervenção, na cerimónia de abertura da III Conferência sobre a Reinserção Social na área da Justiça: “Experiências Comparadas em Matéria de Políticas de Reinserção Social”, ontem na Praia que “é necessário que os reclusos tenham uma oportunidade de formação, de valorização profissional e um futuro que seja diferente do passado que os conduziu ao encarceramento”.

Para evitar isso, o Chefe do Governo defende que “é preciso formular políticas e estratégias de reinserção social em Cabo Verde alinhadas às normas e padrões internacionais e suportadas por todos os actores nacionais relevantes”. José Maria Neves disse que “o Governo está empenhado em fazer melhor em cima do muito que se tem feito e, nesta conferência, quer gizar experiências comparáveis em matéria de políticas de reinserção social e projectar um serviço de qualidade e de excelência para o bem da justiça e da comunidade”. Defendeu também a necessidade de fomentar o diálogo entre o poder judicial, o Governo e a sociedade”.

José Maria Neves adiantou que o Governo tem feito inúmeras iniciativas no sentido de superar os problemas relacionados com o aumento da violência, da delinquência juvenil e da criminalidade que atinge a sociedade cabo-verdiana.

 

  1. Francisco andrade

    que os reclusos trabalham numa pedreira acorrentados e com forte vigilância. Assim pagavam o aluguer deste “hotel” e as refeições.
    grato

  2. roxana aguilera

    yo pense q queria q as cadeias NAO foram so pa LADRAO de Galinha !!! La ten q ser deposito de CORRUPTOS q estan na politica ocupando Cargos PUBLICOS x CUNHA ,
    por amiguismo,nepotismo ,despotismo ,.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.