São Vicente: Sete jovens vão ser julgados pelo crime de motim

15/06/2015 07:11 - Modificado em 15/06/2015 07:11

JulgamentoSete jovens entre os 16 e os 23 anos pertencentes às zonas de Espia e Ribeirinha estão a ser julgados pelo Tribunal da Comarca de São Vicente. Os jovens estão a ser acusados de estarem envolvidos em crime de motim.

O Tribunal da Comarca de São Vicente procedeu ao julgamento de um grupo de jovens das zonas de Espia e Ribeirinha acusados da prática de crime de motim. De acordo com os autos, tudo ocorreu por volta das cinco horas da manhã do dia 31 de Maio na zona de Espia, na sequência de uma festa.

Durante a festa, um grupo de adolescentes e jovens provocou um motim. Dada a gravidade da situação, várias pessoas que participavam na festa puseram-se em fuga e outras foram agredidas com pedras e garrafas, provocando estragos na residência.

Chamados a intervir, os agentes da BAC detiveram parte dos infractores e outras pessoas foram conduzidas ao hospital para receberem cuidados médicos. A viatura da Polícia também ficou danificada na sequência do tumulto.

Os jovens terão provocado um grande tumulto com pedras, garrafas e tiros. As portas e janelas da residência onde decorria a festa ficaram completamente destruídas e várias outras pessoas foram agredidas.

Os jovens da Ribeirinha terão invadido a festa com pedras e garrafas provocando terror no seio dos convidados. Três dos arguidos eram convidados da festa e os restantes pertencem à zona da Ribeirinha. Alguns dos jovens foram detidos na zona da Ribeirinha e negam qualquer envolvimento.

Confrontados pelo juiz do 1º Juízo Crime, os arguidos negam categoricamente qualquer envolvimento. Os jovens de Espia negam terem revidado contra os invasores. Para demonstrar a inocência cada arguido tentava esquivar com as próprias declarações.

Dois dos arguidos detidos dentro de uma residência na zona da Ribeirinha alegam terem-se refugiado nessa casa para fazerem necessidades fisiológicas, pois regressavam de um bar situado na zona. Os arguidos dizem desconhecer a existência da festa: “Eu não tenho nada a ver com a confusão”.

Um dos arguidos da zona de Espia está a ser acusado de ter danificado a viatura da PN e alega ter saído da residência a correr para não ser atingido. No entanto, foi detido e agredido pela PN. O jovem afirma não ter resistido à detenção, por isso, desconhece os motivos da acusação.

Nenhum dos arguidos assumiu a autoria do crime e, de acordo com as declarações, os jovens desconhecem os motivos da detenção.

Após duas horas de audiência e sem conclusão, o juiz entendeu dar continuidade à sessão do julgamento no próximo dia 16 de Junho às 14 horas e 30 minutos.

  1. UVID IMPE

    Será k ninguêm oia kem k faze esse motim na zona de espia?Tudo k boca calode e k ajuda dos srs Advogados parceme exe tt bem fka impune,e depois kem k culpode pa SV extode inseguro ê policias k inclusive ê acusado pel JORNALISTA de agredir um dos jovens…tudo sonte sr Jornalista te dia kexe da boce roda naltura,talves opinião t muda,e boce t txega conclusão k policia t xtod t trataxe moda exe t merece….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.